A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

03/11/2013 08:52

Capital precisa vacinar 18,1 mil cães e gatos contra raiva até fim de novembro

Aliny Mary Dias
Animais precisam ser vacinados contra a raiva todo o ano (Foto: Cleber Gellio)Animais precisam ser vacinados contra a raiva todo o ano (Foto: Cleber Gellio)

Com prazo para acabar em novembro, a campanha de vacinação anti-rábica em Campo Grande ainda precisa imunizar 18,197 mil cães e gatos. Segundo a Prefeitura da Capital, do início do ano até agora, 106,031 mil animais foram vacinados em residências ou no CCZ (Centro de Controle de Zoonozes).

De acordo com os dados do Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde, a meta no entanto é vacinar 124,228 mil animais até o fim da campanha. No ano passado, 78,09% dos animais foram vacinados contra a doença, até agora, a campanha já vacinou 85% dos cães e gatos.

De todos os animais vacinados este ano, 86 mil foram cães e outros 20,031 mil gatos. Nesta semana, de acordo com a Prefeitura, as equipes do CCZ estão na região do bairro Cruzeiro, o mês de novembro será destinado para a vacinação dos animais que vivem na zona rural.

Na última semana, o bairro Monte Castelo recebeu a visita dos técnicos e os animais de alguns moradores receberam a vacina, um deles foi a vira-lata Cacau. A dona da cadela, Sandra Maria da Silva, de 57 anos, afirma que os técnicos passaram pelo local em maio e retornaram na última semana.

“Todo ano eu procuro deixar a Cacau vacinada. Esse ano ela já recebeu a vacina e está com a carteirinha em dia”, conta a dona de casa.

Cacau foi imunizada este ano no bairro Monte Castelo (Foto: Cleber Gellio)Cacau foi imunizada este ano no bairro Monte Castelo (Foto: Cleber Gellio)

Apesar de muitos moradores confirmarem a visita das equipes, Odete Alves Martins, de 32 anos, afirma que tem um cachorro, mas que o animal não foi vacinado. “Não vi ninguém passar pelo bairro esse ano. Vou ter que procurar o CCZ para vacinar meu cachorro”, diz.

De acordo com o médico veterinário Fernando Ortiz Rossetto, de 30 anos, muitos moradores se recusam a autorizar a vacinação pela equipe do CCZ e acabam buscando os pets shops para deixar a carteira dos animais em dia.

“Muitos reclamam do abscesso que fica no couro do animal depois da vacina. Isso ocorre porque alguns técnicos aplicam a vacina puxando o couro dos cães ou gatos. Temos muitos moradores que procuram o pet shop e preferem pagar pela vacina”, explica o médico.

Nos pets shops e clínicas veterinárias, o valor das vacinas anti-rábicas custa em média de R$ 20 a 30 e todo animal que tenha mais que 4 meses de vida deve ser imunizado. O reforço vacinal deve ser feito todo o ano, alerta o médico.

As vacinas anti-rábicas oferecidas nas residências são de graça e quem não receber a visita das equipes do CCZ ou que não estiver em casa quando os técnicos forem, pode levar os animais no centro das 8 horas da manhã às 23 horas de segunda a sexta-feira. Aos sábados, o horário vai até às 18 horas. O CCZ fica na Avenida Senador Filinto Muller, 1601, na Vila Ipiranga em Campo Grande.

Médico veterinário garante que muitos donos de animais preferem pagar pela vacina (Foto: Cleber Gellio)Médico veterinário garante que muitos donos de animais preferem pagar pela vacina (Foto: Cleber Gellio)

Desatualizado – Os dados da campanha anti-rábica em Campo Grande precisaram ser repassados ao Campo Grande News pela assessoria de imprensa da Prefeitura porque a base de dados do Ministério da Saúde não foi atualizada este ano.

Além da Capital, a situação de desabastecimento do sistema ocorre em outros 53 municípios. Dos 78 municípios, com exceção de Paraíso das Águas que não aparece na lista, apenas 30% atualizam os números regularmente.

De norte a sul do Estado, é possível encontrar cidades que não abastecem o sistema. Dourados, Corumbá, Ponta Porã, Coxim, Jateí, Mundo Novo e Maracaju são alguns dos municípios que não incluíram os dados no sistema de informação do Programa Nacional de Imunizações.

A situação é tão complicada que cidades como Aquidauana, Juti, Cassilândia, e Nova Alvorada do Sul não preencheram nem os dados de animais vacinados do ano de 2012.

Câmara Federal regulamenta carreira dos agentes comunitários de saúde
Com a presença de agentes comunitários nas galerias da Câmara, os deputados federais concluíram hoje (12) a votação do projeto de lei que regulamenta...
Anvisa libera serviço de vacinação em farmácias de todo o país
Farmácias e drogarias de todo o país vão poder oferecer o serviço de vacinação a clientes. A possibilidade foi garantida em resolução aprovada hoje (...


Infelizmente o campo-grandense ficou muito mal acostumado!!! Querem tudo muito fácil!!! Além de ser gratuita, os agentes vão até as residências e ainda a população reclama!!! Quem tem animal deve assumir uma série de responsabilidades sobre ele! Quer dizer que se ele adoecer você não vai ter como levá-lo a um Médico Veterinário??? Se você não tem como cuidar, é melhor nem ter bicho em casa! POSSE RESPONSÁVEL, meu povo!!!
 
Letícia da Silva em 04/11/2013 21:11:21
Sra. Ivone Arguelho, permita-me com todo respeito discordar da senhora, porque mora na mesma região sitada pela senhora e meus dois gatos foram vacinados mais ou menos há 60 dias atrás.. Passaram dois rapazes no cumprimento desta meta e meus animais foram vacinados.
 
João Alves de Souza em 03/11/2013 20:13:48
A população, infelizmente, gosta de tudo dado, sem gastar nada. Uma opção para quando o CCZ não vai até o bairro é pagar a vacina numa clínica veterinária, até porque não é apenas a antirrábica que deve ser aplicada, tendo a contra parvo, cinomose, influenza canina, leishmaniose, dentre outras. A posse de um animal inclui gastos com a saúde dele, e ficar esperando pelo poder público pode levar o pet a contrair uma séria doença e morrer.
 
João Dias em 03/11/2013 16:50:34
Concordo com Ivone, esse resultado só está no papel, pois aqui também na região do Serradinho e Nova Campo Grande não vi nem comentarios dessa vacinação, o que falta mesmo e planejamento nessa questão.
 
José Luis da Silva em 03/11/2013 13:53:25
Estou em acordo com Ivone , tá faltando organização e planejamento. Aqui onde moro no Giocondo Orsi, passaram na casa da frente da minha casa e não passaram na minha, sendo que tenho um cachorro a muito tempo. E também fica difícil pra mim levar pra vacinar no CCZ, pois meu cachorro é grande.
 
Ana Maria Chiarelli Perdomo em 03/11/2013 11:06:42
Moro no Parque dos Novos Estados, região do Nova Bahia e Mata do Jacinto, e por aqui até agora, nem o cheiro de vacinas anti-rábicas... E não é porque não fica gente em casa não, é porque não passaram mesmo. Falar em levá-los ao CCZ é fácil, mas nem todo mundo tem carro, então fica difícil, uma vez que não se pode pegar ônibus com cachorros e gatos. Na minha opinião o que está faltando é organização e planejamento.
 
Ivone Arguelho em 03/11/2013 09:22:39
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions