ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MARÇO, DOMINGO  03    CAMPO GRANDE 27º

Capital

"Vou pagar, nem que peça empréstimo", diz Marquinhos sobre salários

Alberto Dias | 30/12/2016 12:16
Prefeito Marquinhos Trad, em seu gabinete na Assembleia (Foto: Marcos Ermínio)
Prefeito Marquinhos Trad, em seu gabinete na Assembleia (Foto: Marcos Ermínio)

Sem saber quanto terá em caixa ao assumir a prefeitura de Campo Grande daqui a dois dias, Marquinhos Trad (PSD) já demonstra preocupação com a folha de pagamento dos servidores municipal referente ao mês de dezembro e não descarta ter de recorrer a empréstimo bancário. Nesta sexta-feira (30) afirmou que pagamento de salário é prioridade.

"Funcionário público não pode ser penalizado por má gestão. Vou pagar, nem que tenha que pedir empréstimo, vou procurar o banco e pagar os servidores", declarou, em entrevista esta manhã no programa Povo na TV. A folha de dezembro vence no início de já na gestão do prefeito eleito Marquinhos Trad e soma cerca de R$ 100 milhões para 22 mil servidores.

O atual prefeito, Alcides Bernal (PP) não conseguiu pagar em dia 13º salário, cuja última parcela foi depositada, segundo ele, nesta quinta-feira (29). Diante de tamanho aperto, o sucessor de Bernal teme a falta de recursos para a folha do próximo mês, além de outros compromissos em atraso, como o repasse ao Hospital do Câncer, por exemplo, que soma R$ 1,8 milhão.

Outra questão emergencial deixada esta semana ao novo prefeito é a limpeza da cidade. Com a rescição do contrato com a Solurb, estão comprometidos os trabalhos de varrição, capinagem e pintura de meio fio. A coleta de lixo está garantida apenas pelos próximops 60 dias e uma nova licitação deverá ser feita em regime de urgência.

Já o contrato com as empresas responsáveis pelas operações tapa-buracos foram suspensos judicialmente e as equipes de manutenção retiradas das ruas. A justiça também bloqueou cinco contas correntes do Município e o TCE-MS (Tribunal de Contas do Estados) impediu que a prefeitura sacasse o montante arrecadado com o pagamento antecipado do IPTU 2017, entre outras questões que marcam o fim de ano da atual gestão.

 

Nos siga no Google Notícias