ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, QUARTA  20    CAMPO GRANDE 24º

Capital

Abandonada há anos, obra de hotel é reativada para abrir órgão da União

Por Lidiane Kober | 30/11/2013 08:32
Projetado para abrigar hotel, prédio, nos altos da Avenida Afonso Pena, será sede da Advocacia-Geral da União (Foto: Arquivo)
Projetado para abrigar hotel, prédio, nos altos da Avenida Afonso Pena, será sede da Advocacia-Geral da União (Foto: Arquivo)

Abandonada há anos, a obra do Hotel do Parque, nos altos da Avenida Afonso Pena, foi reativada há cerca de 30 dias para abrigar sede da AGU (Advocacia-Geral da União), em Mato Grosso do Sul. A previsão é concluir a construção do prédio, que terá estacionamento subterrâneo e elevador, em até oito meses.

O hotel inacabado, que ocupa 4,7 mil metros quadrados de área nobre da Capital, foi comprado pela Financial Imobiliária, que, neste ano, fechou contrato para alugar o espaço à AGU.

De acordo com o diretor-geral da Financial, Domingos Guimarães, o hotel inacabado foi adquirido pela empresa há dois anos. “Compramos levando em conta um conjunto de fatores, como a localização e oportunidades de negócios”, comentou. Ele, no entanto, não revelou o valor do prédio, investimentos na obra e nem o preço do aluguel.

A previsão, segundo ele, é concluir o empreendimento em até oito meses. A missão foi depositada nas mãos de Sérgio Tannous Engenharia. Por enquanto, 15 profissionais atuam na demolição da parte dos fundos do prédio. A etapa deverá ser concluída, conforme o mestre de obras Ivo Gomes, em até 20 dias.

Na sequência, o grupo se concentrará na construção de estacionamento subterrâneo e deverá ganhar o reforço de mais 10 profissionais. Na parte frontal, terá também terá o estacionamento normal. Na entrada no prédio, será o atendimento ao público. “Nesta área as adequações serão poucas”, comentou o mestre de obras.

Depois da recepção, o trabalho será maior para construir os departamentos, necessários para abrigar 66 funcionários da AGU. A área terá dois andares e contará, inclusive, com elevador.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário