ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SEXTA  30    CAMPO GRANDE 15º

Capital

Acampamento “fantasma” recebe cruzes em protesto contra os 29 vereadores

Canteiro central da Afonso Pena tem mobilização para pedir reabertura de lojas

Por Aline dos Santos e Mariana Rodrigues | 25/03/2021 12:44
Cruzes foram fincadas no canteiro central da Avenida Afonso Pena. (Foto: Kísie Ainoã)
Cruzes foram fincadas no canteiro central da Avenida Afonso Pena. (Foto: Kísie Ainoã)

Montado no domingo e sempre esvaziado, o protesto contra as medidas restritivas impostas pelo poder público para conter o contágio do coroavírus ganhou nova cenografia nesta quinta-feira (dia 25): 29 cruzes.

De acordo com o tecnólogo Erick Gonçalves, 40 anos, cada cruz representa um vereador da Câmara Municipal de Campo Grande. As cruzes foram colocadas no canteiro central da Avenida Afonso Pena, em frente ao Paço Municipal.

“Vamos colocar a foto de cada um dos vereadores. Eles estão em casa, recebendo o salário enquanto o comércio está fechado. Não sou negacionista, mas nós também precisamos trabalhar. Não estamos fazendo aglomeração e nem vandalismo”, diz Erick, único manifestante presente no local.

Segundo ele, duas pessoas passam a noite no acampamento. Já durante o dia, o publico do protesto varia de seis a 10 pessoas. A manifestação começou no domingo contra o decreto da prefeitura de Campo Grande que antecipou feriados e fechou o comércio presencial.

Agora, novo decreto, mas desta vez do governo do Estado, passa a vigorar amanhã e proíbe que o setor abra para o público até dia 4.

"Os governantes estão fazendo o que é possível para salvar vidas. Sabemos da importância do comércio, mas também da ciência, das restrições contra aglomerações. É uma tarefa árdua mas estamos todos trabalhando em busca do bem comum", afirma o presidente da Câmara Municipal, Carlos Augusto Borges (PSB).

“Não sou negacionista, mas nós também precisamos trabalhar”, diz Erick, em protesto solitário. (Foto: Kísie Ainoã)
“Não sou negacionista, mas nós também precisamos trabalhar”, diz Erick, em protesto solitário. (Foto: Kísie Ainoã)


Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário