ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, SEGUNDA  02    CAMPO GRANDE 15º

Capital

Acusado de atear fogo no carro da ex se entrega, nega crime e aponta culpado

Versão foi desmentida pela vítima; suspeito tentou liberdade

Por Liniker Ribeiro | 20/03/2021 10:33
Carro, modelo Volkswagen Fox, destruído após incêndio criminoso; ex-marido é suspeito de quemar veículo (Foto: Henrique Kawaminami)
Carro, modelo Volkswagen Fox, destruído após incêndio criminoso; ex-marido é suspeito de quemar veículo (Foto: Henrique Kawaminami)

Acusado de atear fogo no carro da ex por não aceitar o fim do relacionamento, homem, de 29 anos, se entregou à polícia 8 dias após o crime. Na DEAM (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher), o suspeito negou ter sido o responsável pelas chamas que destruíram veículo modelo Volkswagen Fox e ainda culpou outra pessoa.

Ao lado de advogado, o suspeito procurou a Polícia Civil na última quinta-feira (18). Conforme petição apresentada pela defesa, a intenção do homem foi “esclarecer os fatos”, mas devido a mandado de prisão expedido em desfavor dele, acabou ficando preso.

Na versão do suspeito, no dia dos fatos, ele estava passando próximo a residência onde a vítima passou a noite, quando viu a ex-mulher acompanhada de outro homem. “Sem pensar e muito nervoso” com a situação, ele afirma ter aproveitado o portão semiaberto para entrar. O ex-casal começou a discutir e, de acordo com ele, em seguida, o homem que estava com a mulher saiu em alta velocidade, derrubando o portão da casa.

Ainda segunda a versão, devido à problemas mecânicos, o veículo pegou fogo. O ex-companheiro da dona do carro disse ainda ter tentado apagar as chamas e pedir ajuda, mas acabou sendo agredido por pessoas que acreditavam que ele teria ateado fogo. Com isso, deixou o local.

Ao Campo Grande News, a vítima desmentiu a versão do ex-marido. “É mentira, eu tenho várias testemunhas que presenciaram, o vizinho da frente que viu o momento que ele ateou fogo no carro, é fora de contexto o que ele disse”, afirmou.

A mulher também negou a presença de outro homem, no local. “Não tinha outra pessoa na casa, era minha amiga, era ela que estava manobrando o carro porque eu não conseguia”, declarou.

Mãe de quatro filhos, dois deles com o suspeito, a mulher já havia declaro, em entrevista, que no dia do incêndio, o ex tentou contato ainda na madrugada. “Ele começou a me ligar 3h30 da manhã, deve ter passado em casa e visto pelo portão que meu carro não estava. Minha amiga percebeu que o telefone tocava sem parar, mas não quis me acordar, porque ficou com medo do que poderia acontecer”, revelou.

Ela também afirmou que o ex-marido invadiu a residência, os dois discutiram, ele entrou no carro e acelerou, “arrombando o portão”. Depois, ele teria percorrido duas quadras, até que retornou, fez novas ameaças e, conforme ela, ateou fogo no carro com auxílio de um isqueiro.

Dentro do veículo ficaram documentos da mãe e certidões de parte dos filhos. Também foram consumidos pelo jogo perfumes e panos de prato, totalizando cerca de R$ 700 em mercadorias, além de R$ 300 resultado da venda de espetinhos, função que Ana desempenha no período da noite, ao lado da irmã.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário