A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

11/02/2014 09:02

Acusado de matar decoradora continua solto e família segue sob terror

Graziela Rezende

A uma semana de se completar 30 dias do assassinato da decoradora Mauryani Melgarejo, 29 anos, a Polícia ainda não possui pistas do paradeiro de Francisco Ubirajara Marques, o Bira, 52 anos. Enquanto isso, conforme a mãe da vítima, uma dona de casa de 50 anos, familiares permanecem “trancados e com medo de novas ameaças”.

“Ele não nos incomodou mais, porém permanecemos trancados e queremos uma resposta para este crime. Os filhos dela, de cinco e seis anos, ainda choram muito pela ausência da mãe e estamos tentando dar uma rotina normal de vida a eles, com escola e outras atividades. Porém, vamos esperar mais um pouco ou então começar a fazer protestos pela cidade”, conta a dona de casa.

Recentemente, revoltada com a morte da prima, por conta de uma vingança anunciada por Francisco, uma de suas filhas enviou uma foto recente à Polícia. A intenção era colaborar com as investigações, mas nenhuma pista chegou a Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher). “Ainda não temos informações do seu paradeiro, mas estamos investigando”, garante a delegada Rosely Molina, responsável pelas investigações.

Crime – Mauryani foi alvejada às 19h20 da noite de sábado (18), na rua Tembes esquina com a Tupina, Jardim Leblon, em Campo Grande. Conforme a Polícia, a vítima estava em casa, que fica nos fundos de um restaurante, quando o autor chegou de moto e entrou pelo estabelecimento que dá acesso ao imóvel.

A vítima estava no quarto junto com a filha, quando Francisco disparou cerca de cinco tiros em direção a Mauryani. Ela foi atingida por dois disparos, um no rosto, que saiu pelo pescoço, e um nas costas.

Ligações - No dia do velório, não bastasse ter matado a decoradora, Francisco ainda interrompeu, por diversas vezes, o velório da vítima e ameaçou a família inteira de morte. Na ocasião, a Polícia teve de ir ao local para recolher o celular onde surgiam as ligações. Eles disseram que o autor “pedia para escolher qual tipo de morte querem, de tiro ou de faca”.



Não consigo entender o motivo pelo qual a nossa policia, que deve estar trabalhando duuuuramente no caso, não consegue obter pistas nem mesmo prender um animal destes, que mata fria e cruelmente uma mãe de família inocente na frente de seus filhos. É sabido por todos que nossa polícia é sabedora do nome completo deste bandido, bem como RG, CPF, título de eleitor e endereço do crápula e de seus contatos... imaginem se não os tivesse??? Vergonha.
 
Edmar Oliveira em 16/02/2014 16:13:06
Para isso a Policia não serve. só gostam de matar, separar brigar de bar e agredir bebados. vergonha de ser Brasileiro. ehhh USA
 
Everton Gustavo em 11/02/2014 13:53:14
QUE VERGONHA, pra nossa segurança
 
Rosa Ferreira em 11/02/2014 11:46:43
A inexpressividade do secretário de justiça de MS é impressionante. Ele tem que se empenhar mais para exigir a resolução de crimes praticamente evidentes.
 
João Pedro em 11/02/2014 11:19:26
Um ser desse merece viver??? Revoltada!
 
Rejane Marinho em 11/02/2014 10:05:26
Esse nosso secretario de segurança publica serve pra que mesmo ? Não pegou os mandantes do assassinato do delegado Paulo Magalhaes, não prendeu os assasinos do Eduardo Carvalho , e até hoje não pegou esse meliante que ameaça a familia desta moça e a sociedade de Campo Grande.
Acho que esta na hora de trabalhar um pouco.
 
Roberto França em 11/02/2014 09:19:06
Por que a polícia não divulga foto de mau elemento, do bandido???
Tenho certeza que se tivesse uma foto divulgada a população já teria denunciado seu paradeiro.
 
Marcela Silveira em 11/02/2014 09:11:59
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions