A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

01/02/2014 10:57

Tragédia doméstica: 4 mães mortas, 11 orfãos aos cuidados dos avós

Graziela Rezende
Uma das crianças presenciou assassinato da mãe e correu para não ser alvejada. Foto: Marcos ErmínioUma das crianças presenciou assassinato da mãe e correu para não ser alvejada. Foto: Marcos Ermínio

Imagine, mesmo criança, começar o ano com a notícia de que a sua mãe foi assassinada. E não vítima de uma fatalidade, mas da cruel intenção do companheiro que não aceita o fim do relacionamento. Sobra a dor, sobram os filhos que carregam a tragédia por uma vida inteira. Em Campo Grande, só no mês de janeiro, esta é a realidade de 11 filhos, por conta do assassinato de quatro mulheres.

Há 13 dias, pelo fato de ter uma ligação sanguínea com a ex-mulher de Francisco Ubirajara Marques, 52 anos, a decoradora Mauryani Melgarejo, 29 anos, foi morta por ele. O autor do crime já havia prometido “vingança”, caso não soubesse o paradeiro da ex-mulher e duas filhas.

A vítima deixou um casal de filhos, de cinco e seis anos. A mais velha presenciou o tiro e correu a tempo de se esconder atrás do guarda-roupa. “Do nada, a menina para e repete a cena. Levanta a camisa e fala a mesma frase que ele (Francisco): Você para de escrever cartas para a minha mulher, sendo que, em seguida disparou no pescoço dela”, conta a mãe da vítima.

Aos cuidados da avó, a menina passará por tratamento psicológico. “Ela me parece ser muito sensitiva. Muitas vezes, olha para o céu e fala que a mãe dela é a estrela mais bonita que está lá. Isso me causa revolta, como esse homem monstruoso ainda está impune?”, comenta.

No dia 11 de janeiro, após um “dia inteiro de brigas”, a médica Maria José de Pauli, 60 anos, foi morta com golpes de barra de ferro pelo marido, o pecuarista José Mario Ferreira, 58 anos. Um dia antes, ela compareceu a delegacia e disse que havia descoberto uma traição dele e precisava de ajuda.

A vítima, no entanto, recusou obter uma medida protetiva contra ele. Ela foi orientada a pedir a separação juntamente com parentes. Naquele sábado, uma das filhas passou o dia todo na casa, com a intenção de apaziguar a situação, mas a médica foi morta pouco tempo depois que ela saiu.

Pouco antes do réveillon, Laida Andréia Samulha Romualdo, 35 anos, foi ferida a pedradas pelo ex-marido, Anderson César Firmino, 24 anos. Além de muito ciumento, testemunhas disseram que ele era usuário de drogas e alcoólatra. Na última crise, ele quebrou diversos pertences da casa e “atacou” a vítima, na frente dos quatro filhos, de 3 a 16 anos.

Cinco dias após o fato, sentindo muitas dores, Laida passou por dois postos de saúde até chegar a Santa Casa, onde passou por cirurgia e morreu no dia 9 de janeiro. As crianças ficaram aos cuidados da avó e o pai teve a prisão preventiva decretada, acusado de violência doméstica e homicídio doloso.

De um lado da cidade, enquanto Laida procurava ajuda médica, Dayane Silvestre Uliana, 26 anos, foi morta no cruzamento da avenida Manoel da Costa Lima com a Bandeiras. O ex-marido, Júlio César Martins Ferreira, 38 anos, se apresentou dias depois na Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher). Ela retornava do trabalho, conduzindo um Corsa, quando foi perseguida e alvejada por ele.

Em depoimento, ele disse que a “amava demais”. O casal viveu junto por dois anos, teve uma filha e estava separado há três meses. A menina ficou aos cuidados dos pais de Dayane. Durante um protesto, parentes contaram que a criança está “sofrendo demais” com a falta dela.



Nossa, em nossa atual sociedade, onde todos buscam direitos iguais, vem o senhor, Fernando Giardino em 01/02/2014 12:02:44, e diz que as mulheres, devem obedecer os homens porque são mais fortes, nossa perdeu oportunidade de calar a boca,
Todas nos mulheres temos direito a ser respeitadas, e se quisermos podemos nos separar daqueles que nos magoa e machuca física ou emocionalmente, Passei por isso a um ano atras, e ainda me escondo. E garanto sou muito mais forte que ele.
Solidariedade a todas as famílias que foram destruídas por esses monstros.
 
MARIA VALÉRIA em 02/02/2014 15:05:11
Falta DEUS no coração dos seres humanos... DEUSSSSSSSSSSSSSSSSSSS...
 
ruy da costa rodrigues em 02/02/2014 10:43:30
Fernando Giardino, comentário mais sem noção e fora da casinha o seu.
 
Valdecir Zaniboni em 02/02/2014 09:24:43
Enquanto nossas leis foram brandas e a mente masculina tacanha, como a desse leitor que acredita as mulheres centralizadoras, vai continuar essa matança. Se houvesse a pena de morte, queria ver cantar de galo....Infelizmente os homens tem a força, mas a cabeça totalmete vazia....
 
Jessica Santos em 02/02/2014 08:50:47
Acredito que é a pior dor do mundo, essa dor de perder uma amiga desta forma tão monstruosa. Dayane era uma garota muito alegre, brincalhona, enfim muito feliz. até conhecer o monstro. Mas não sei o q dói mais se é a perca ou a justiça do nosso país, daqui a pouco esses criminosos estarão soltos.Deus q ilumine essas crianças, pois são as q mais sofrem com a falta de suas mães.
 
Regina Marques em 02/02/2014 00:11:02
A chave do problema eh que muita gente nao tem condicoes nem mentais e nem financeiras para ser pai ou mae. Poem crianca no mundo como se nao houvesse o amanha. O resultado eh um bando de orfaos que ficam aa margem da sociedade. Muitos deles se transformam nos bandidos que aterrorizam a sociedade. Esta eh quem por ultimo paga o pato. Faz-se necessario um inicio do dialogo com relacao ao planejamento familiar.
 
Jose Goncalves Ferreira em 01/02/2014 19:34:13
nao sei porque essa preucupaçao sempre teve isso só não tinha mídia a populaçao e grande pare de demogagia
 
vanderlei marques em 01/02/2014 18:12:02
A falta de Deus no dia a dia tem gerado todas essas barbáries entre os homens!!! Nem dá para assimilar quais objetivos pensam que atingirão com os sentimentos que prevalecem em seus corações...tem acontecido em todos os segmentos da sociedade por um único motivo...EGOISMO!!! Que gera insegurança,revolta e, a tal corrupção.Isso são as consequências do espelho que o governo oferece ao seu povo.Não temos EDUCAÇÃO...SAÚDE e SEGURANÇA!!! O tripé de uma estrutura decente na sociedade! Há uma epidemia de falta de caráter,onde não há também JUSTIÇA!!! Acredito que uma mudança na constituição,na legislação...ainda poderá salvar vidas,pois órfãos estamos todos!!!
 
Marcia Maria da Fonseca em 01/02/2014 14:53:33
A justiça brasileira é uma vergonha, os agressores são liberados apos prestarem depoimento e quando são presos a justiça concede um habeas corpus. A impunidade é soberana no Brasil.
 
Willian John em 01/02/2014 13:04:29
Passei por essa experiência, meu pai tirou a vida do meu irmão e mãe em 19/05/1983, já se passaram muito tempo mas trago traumas, pq tbém presenciei o fato, na mesma noite a minha vida mudou totalmente foram 3 percas,só Deus pra conforta essas famílias.
 
Maiza Lopes em 01/02/2014 12:19:48
Tragédia é ver essas notícias escritas por iniciáticAs, facultando todo o sucesso da família exclusivamente à mulher. Lamentável. Enquanto as mulheres tentarem descaracterizarem o papel do homem dentro de casa, vão continuar morrendo, infelizmente, pois o homem, naturalmente, é mais forte que uma mulher. Mulher que quer ser centralizadora, não serve para casar, tem que viver solteira.
 
Fernando Giardino em 01/02/2014 12:02:44
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions