ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, TERÇA  20    CAMPO GRANDE 21º

Capital

Aeronáutica ignora pandemia e reúne 700 para exercício militar em Campo Grande

O Exercício Operacional Tápio está previsto para o período entre 17 de agosto e 2 de setembro

Por Marta Ferreira | 10/08/2020 10:15
Aeronaves na pista da Base Aérea no ano passado, durante o exercício operacional Tápio. (Foto: Divulgação)
Aeronaves na pista da Base Aérea no ano passado, durante o exercício operacional Tápio. (Foto: Divulgação)

Contra as orientações que vêm sendo repetidas dia a dia pelas autoridades de saúde em Campo Grande, para que sejam suspensos eventos com aglomeração de pessoas durante a pandemia de covid-19, está previsto para o período de 17 a 2 de setembro, treinamento na Base Aérea de Campo Grande reunindo esquadrões aéreos de todas as forças militares.

Denomimado Exop (Exercício Operacional) Tápio, o evento em previsão de 700 militares, com mais de 50 aviões cruzando o céu simulando situações reais, como por exemplo missão de paz.

No ano passado, também foi realizado em Campo Grande, que sedia a chamada "Ala 5" na divisão militar, no mês de abril.

O Campo Grande News recebeu queixas de dentro do quartel e de moradores vizinhos à Base Aérea, informando que existe o temor de contágio pela covid-19. Um das pessoas informou que o risco é iminente e inclusive há militares positivos para o novo coronavírus dentro do Esquadrão Pelicano, especializado em salvamento, depois de retorno em missão no Rio de Janeiro.

Consultada, a Secretaria Estadual de Saúde  informou que desaconselha ações do tipo, mas disse que é o município quem tem a missão de fiscalizar a realização de eventos. Ao Campo Grande News, o secretário Geraldo Resende, afirmou se tratar de “atividade de risco”.

“Entretanto, a Secretaria de Estado de Saúde respeita a decisão da FAB de manter a realização do evento e acredita que o plano de biossegurança desenvolvido pela FAB para o exercício militar possui todas as medidas necessárias para a segurança dos envolvidos”, afirmou o órgão por e-mail.

A Secretaria Estadual de Saúde acrescentou que irá auxiliar a FAB no que for solicitado e fornecerá os insumos que forem necessários, inclusive para testagem.

A resposta da prefeitura de Campo Grande, via Sesau  (Secretaria Municipal de Saúde Pública), foi de que ainda esta semana haverá conversa com autoridade militar sobre o evento. Ainda segundo informado, a FAB garantiu que tomará todas as medidas de proteção dos participantes do evento.

Em nota, a Sesau argumentou ainda que “no município há um decreto que veta a realização de eventos com aglomeração de pessoas.  As atividades autorizadas são regradas e exigem protocolos de biossegurança”.

Conforme o texto, as medidas garantiram a Campo Grande “um dos melhores resultados  do País, comprovado pela baixa taxa de letalidade, a terceira menor entre as capitais”.

A FAB (Força Aérea Brasileira) foi consultada pela reportagem e informou que ainda durante o dia de hoje responderá aos questionamentos, inclusive sobre a existência de casos positivos entre os militares.

Epicentro da covid- Com mais de 13 mil casos positivos da doença desde março, Campo Grande é hoje a cidade onde a covid-19 mais preocupa. O número de mortes chega a 188, segundo os dados de domingo da Sesau.

Estrutura na Base Aérea de Campo Grande. (Foto: Henrique Kawaminami)
Estrutura na Base Aérea de Campo Grande. (Foto: Henrique Kawaminami)


Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário