ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, TERÇA  28    CAMPO GRANDE 32º

Capital

Agente dá ordem de passagem em sinal fechado e professora é multada

Por Filipe Prado | 13/12/2013 09:12
Os "amarelinhos" fiscalizam o trânsito na região da rua Joaquim Murtinho (Foto: Cleber Gellio)
Os "amarelinhos" fiscalizam o trânsito na região da rua Joaquim Murtinho (Foto: Cleber Gellio)

Após receber multa de R$ 193, uma professora garante que a infração foi cometida pela indução de “amarelinhos” da Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito). Ela relatou que o fiscal de trânsito deu ordem para que avançasse o sinal fechado, mas a multa foi registrada pelo equipamento eletrônico.

A professora Joyce Torres Silva, 31 anos, explica que por conta do congestionamento que forma, durante horário de pico, rua Joaquim Murtinho, em frente a escola estadual Hércules Maymone, os agentes de trânsito controlam o tráfego da região.

Segundo a professora, o “amarelinho” pediu que ela parasse e esperasse os pedestres atravessarem a rua, após isso deu a ordem para a passagem. “Não percebi, ele falou para eu passar, só depois me liguei que estava vermelho, só percebi quando a multa chegou aqui em casa”, relata Joyce.

Só depois que a multa chegou que a professora percebeu que havia passado no sinal fechado
Só depois que a multa chegou que a professora percebeu que havia passado no sinal fechado

Com mais de 10 anos de CNH (Carteira Nacional de Habilitação), Joyce ficou indignada com a situação. “Fiquei brava, não passo no sinal vermelho, foi uma exceção. Não acredito que a responsabilidade seja minha”, analisa a professora.

Daniel Cardoso, 24, passou pela mesma situação e conta que isso sempre acontece na região. “Eu moro aqui e os agentes ficam na região, pelo menos, umas duas vezes por semana. Sempre vejo algo parecido acontecer, até comigo já aconteceu, mas ainda não recebi uma multa”, disse.

O Campo Grande News tentou entrar em contato com a prefeitura, mas as ligações não foram atendidas.

Neste caso, quem for multado irregularmente, pode recorrer à Jari (Junta Administrativa de Recursos), mas só consegue anular a infração se comprovar que acatou a ordem do agente público ou avançou sinal em decorrência de uma emergência, como dar passagem para viatura do Corpo de Bombeiros, do Samu ou da Polícia.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário