A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

16/01/2013 20:28

Anta, capivara e rato também propagam leishmaniose, diz juiz que soltou Scooby

Nyelder Rodrigues e Marta Ferreira
Cão foi entregue pela Prefeitura à ONG Abrigo dos Bichos na terça-feira (Foto: Rodrigo Pazinato)Cão foi entregue pela Prefeitura à ONG Abrigo dos Bichos na terça-feira (Foto: Rodrigo Pazinato)

Na decisão do juiz Amaury Kuklinsk, da Vara de Direitos Coletivos, Difusos e Homogêneos, em que determina a entrega do cão Scooby à ONG Abrigo dos Bichos, ele cita que não somente os cães, mas também “homem, anta, capivara e rato” fazem parte do ciclo de propagação da leishmaniose.

Ele cita homens e os outros animais pois eles estão no meio urbano da Capital, e podem ser hospedeiros do protozoário que causa a doença, que não é transmitida no contato animal com animal, e sim pela picada dos mosquitos hematófagos, vetores de transmissão.

Além disso, ele contou que o ato administrativo da Prefeitura, em interromper o tratamento de Scooby e cogitar o seu sacrifício, está totalmente dissociado dos estudos científicos que vem sendo produzidos e aceitos em países como Espanha, França, Itália e Alemanha, que conforme o juiz, tratam seus animais com eficiência.

A decisão ainda revela que as pesquisas mostram que o extermínio de animais é de pouca valia, e que resultados significativos foram obtidos por meio de inseticidas que exterminem o mosquito transmissor.

A Prefeitura de Campo Grande entregou o cão Scooby na tarde desta terça-feira (15) ao Abrigo dos Bichos. O animal ganhou notoriedade depois de ser arrastado pelo dono do bairro Aero Rancho até o CCZ (Centro de Controle de Zoonoses).

Scooby tem leishmaniose e foi pivô da polêmica envolvendo o tratamento à doença. A orientação do Ministério da Saúde é a eutanásia, mas o ex-prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) determinou que o animal fosse preservado, depois de uma campanha nas redes sociais.

De acordo com a médica-veterinária e presidente do Abrigo dos Bichos, Maíra Kaviski Peixoto, Scooby será levado para a clínica veterinária onde ficou internado antes der levado ao CCZ para continuar o tratamento da leishmaniose e refazer todos os exames para certificarem a respeito da saúde do animal.

Exames foram feitos no cachorro para verificar a atual situação de saúde dele. Segundo o Abrigo dos Bichos, uma das constatações é a de que ele perdeu 1 kg no período de que foi tirado do tratamento e esteve no CCZ.



juiz nao entende nada de leish... assunto muito polemico... espero que o filho dele tambem brinque com rato capivara e anta
 
Jhonny Fernandes em 17/01/2013 20:46:21
Sábia a decisão do juiz, e o que aconteceu com a pessoa que arrastou o animal até o CCZ? Esse ser desprezível deveria pegar uns 5 anos de cadeia no mínimo além de ter que pagar multa.
 
Flavio Gazzaneo em 17/01/2013 19:11:01
Estou de acordo com a atitude do Juiz. Entendo que há periculosidade na leishmaniose, mas enquanto o problema for resolvido através da matança dos animais, a origem do problema nunca será de fato resolvida - a do mosquito transmissor. Da mesma forma que a Dengue aponta números alarmantes e o problema também é de mosquito.
RESUMINDO: CADE A PREFEITURA? Seja Trad ou agora Bernal... ANOS E ANOS E SEMPRE A MESMA COISA! DENGUE, LEISHMANIOSE E NENHUMA AÇÃO REALMENTE COMPETENTE!
 
Francisco Dequech em 17/01/2013 13:06:56
Parabéns, excelência. Senti firmeza em vossa decisão. Eliminar o cão é prática de quem não tem capacidade de eliminar o mosquito (esse sim transmite a doença). A guerra precisa ser declarada contra o inseto causador do problema. Assim como se combate o transmissor da dengue, deveria ser também contra o mosquito que transmite a LV. Fica o recado aos desavisados de plantão...
 
darci rocha em 17/01/2013 12:23:09
parabens, com certeza nós que temos bichos de estimação e gostamos de verdade dos nossos bichos sabemos que não é nescessário matar, é preciso tratrar como uma pessoa que tem problemas cardiagos, diabetes e outros. mas o principal é combater o transmissor e isso está bem longe de se concretizar, se nem a dengue conseguem...
 
JOSE M COSTA em 17/01/2013 11:33:01
Algumas pessoas precisam entender que quando resolvem adotar um animal, seja um cachorro, gato, rato ou qualquer outra especie de bicho, ela tem que prover a esse animal cuidados básicos como saúde, alimentação, carinho, segurança e remédios quando for necessário, e quem vai pagar essa conta é ele o dono do bicho, porque ele é responsável por essa vida também. Ter um animal de estimação é ter um um compromisso com esse ser.
 
Luzia Auxiliadora Bispo Floriano em 17/01/2013 11:32:26
Agora vejo que tem pessoas inteligentes nesse mundo ainda, que tem vontadade de ler artigos e ver que o tratamento da leishmaniose tem otimos resultados sim.
Parabéns para o excelentíssimo juiz Amaury Kuklinsk, pelo seu ato de justiça, mostrando que se importa com esses animais.
EUTANASIA NÃO É SOLUÇÃO, MAS SIM A PREVENÇÃO CONTRA O MOSQUITO TRANSMISSOR.
 
Aline Mendonça em 17/01/2013 11:29:19
A leitura que faço, de todos que ocupam cargo tanto no CFMV quanto no Min.Saúde, que são oportunistas e preguiçosos. Ñão estão acrescentando em nada, por vidas, muito menos por quem luta pela preservação da mesma. Precisam ESTUDAR, ver exemplos de outros paises, não ficarem acomodados nas suas confortáveis poltronas, ditando regras, sem conhecer a realidade do seu próprio País, prejudicando COLEGAS de profissão, com MAIOR conhecimento. Deveriam preocupar com investimento em pesquisas, campanhas informativas.Por onde andava o fumacê, por que apareceu só agora? Ah, estão preocupados com$$$, perseguição e consequentemente ASSASSINATO de inocentes(cães).
Acordem população, façam uma relexão de tudo isso, mande o resultado nas próximas eleições.
Parabéns!! Dr. Amaury e todos do Abrigo.
 
Neyde de Oliveira em 17/01/2013 11:09:08
Parabéns pela decisão, consciente e com sustentação, como é fácil matar, mais para manter a vida é uma luta e que luta.
 
Nery Ribeiro em 17/01/2013 10:50:33
Parabéns pela decisão Dr Amaury Kuklinsk!!!
 
Suzanne Lanza em 17/01/2013 10:15:19
Capivara e anta estão transmitindo LV no Mato Grosso do Sul?
Vírus da doença?
Não se pode e nem se deve comparar o ciclo da doença na Europa e aqui no Brasil, pois são ciclos distintos. A transmissão na Europa é sazonal.
 
Mauro Elkhoury em 17/01/2013 09:47:12
Já que o homem também faz parte do "...ciclo de propagação da leishmaniose" como citou o Senhor juiz Amaury Kuklinsk, da Vara de Direitos Coletivos, Difusos e Homogêneos, e o homem é tratado porque então não tratar também os animais. Ou fazer eutanásia também no homem.....
 
Creusa Nogueira em 17/01/2013 09:37:39
ESTA DE PARABENS ESTE JUIZ,GOSTEI E CONCORDO COM OS PENSAMENTOS(IDEIA) QUE ELE TEVE,AO JULGAR O CASO DO SCOOBY.
NÃO TEMOS QUE MATAR OS ANIMAIS E SIM O MOSQUITO.
sE FOSSE ASSIM MATAVAMOS AS PESSOAS QUE TEM DENGUE.
ASSIM COMO TEM CAMPANHA PARA A DENGUE,DEVERIA TER CONTRA A leishmaniose.(ESSA E A MINHA OPINIÃO)
vIVA O SCOOBY \O/
 
JESSICA ARDAYA em 17/01/2013 09:07:28
Disse tudo tudo sr Amaury Kuklinsk,resumindo,o que deve ser feito é a população ter consciência de higiene,mantendo seu quintal limpo e não jogar lixos em terrenos baldios,encostas...ter consciência da preservação na qual ñ acontece....Pois não só a leishmaniose, também a dengue são consequências da falta de zelo do ser humano...e muitos outros problemas....O que temos que combater é o mosquito,então vamos parar de hipocrisia e fazer nossa parte,pois não adianta nada um ou outro colaborarem se a grande maioria não esta nem ai!!Pra reclamar todos estão ai.. Mas pra agir,preferem sentar em cima do rabo e deixar que outros os fazem pois o fácil é criticar!!!Pois BONZINHO é vc ficar dizendo faz mal pra isso aquilo,Mas duvido vc ser BOM pra parar de dizer e AGIR!!!!
 
Etiene mendonça em 17/01/2013 08:59:34
Oh, seu Excelência, a gente não convive com esses animais. Inclusive, quando encontrado o rato não deve ser morto por causar danos à saúde humana?
 
ricardo rodrigues em 17/01/2013 08:50:17
O assunto precisou ser tratado na justiça!!!! O fim do mundo ta próximo porque as pessoas nao conversam mais, transferem tudo para o judiciario!!!
 
Antonio Souza em 17/01/2013 08:48:50
Boa comparação... (quanto custará esse tratamento? e os demais cães da cidade também receberão o tratamento? quem pagará essa conta?) Países de primeiro mundo possuem recursos realmente aplicados em saúde pública e pessoas empenhadas nas soluções, já no Brasil... é carnaval, futebol, novela, bbb, fama, oportunísmo de situações polêmicas, etc.
Ainda, o tratamento aplicado a esse scooby é permitido no Brasil? A medicação aplicada é permitida pela ANVISA e Ministério da Saúde? Será que estão aplicando os mesmos medicamentos destinados ao humanos? É permitido? Será que não pode causar mutação da doença?
 
William S. Vilela em 17/01/2013 08:42:37
Como assim??? Anta, capivara e ratos????????
 
Fatima Regina Quevedo David em 17/01/2013 00:07:21
Parabéns pela decisão Dr Amaury Kuklinsk!!! Sábias palavras...
 
kaléu freitas em 16/01/2013 23:35:53
Exatamente, todos nós podemos ser hospedeiros da leishmaniose, galinhas, cavalos, boi, vaca, ratos, quatis, capivaras, em fim, ninguém escapa. O combate a leishmaniose não existe, a matança dos cães é apenas uma mascaração de um problema que as autoridades não encaram e não tem dado importância ao caso, quando alguém morre, ficam culpando os cães, os dados mostram que a doença não diminuiu, mesmo com a matança dos animais, então, estão combatendo no lugar errado.
 
Antonio Carlos em 16/01/2013 23:26:28
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions