A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

05/09/2015 11:28

Após apoiar escalonamento de Olarte, Sisem vai à Justiça contra medida

Aline dos Santos
Marcos Tabosa (de laranja), em julho, ao lado de Ivan Jorge, da Secretaria de Planejamento, quando apoiou escalonamento (Foto: Fernando Antunes/Arquivo)Marcos Tabosa (de laranja), em julho, ao lado de Ivan Jorge, da Secretaria de Planejamento, quando apoiou escalonamento (Foto: Fernando Antunes/Arquivo)

Ação na Justiça cobra o fim do escalonamento de salários para os servidores da prefeitura de Campo Grande. O mandado de segurança coletivo é do Sisem (Sindicato dos Funcionários e Servidores Municipais), que representa 13 mil dos 25,4 mil servidores.

A ação contra o prefeito Alcides Bernal (PP) tramita na 1ª Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Individuais Homogêneos. Ainda não houve decisão quanto ao pedido de liminar.

Presidente do Sisem, Marcos Tabosa afirma que o sindicato apoiou somente o pagamento escalonado da folha de julho. “Mas deixamos claro no dia, naquela data, que o sindicato não aceitaria novo escalonamento”, diz, sobre a decisão de acionar a Justiça após ter concordado com o parcelamento. À época, a prefeitura era comandada por Gilmar Olarte (PP), que foi afastado do cargo no mês passado.

“O Poder Executivo chamou o sindicato para explicar a situação que vinha passando naquele momento. Falo Executivo porque independe se é José, Maria ou João, é o Executivo”, afirma o sindicalista.

O salário de julho foi pago de forma escalonada, sendo 20 mil créditos pagos até o quinto dia útil. No dia 25 de agosto, a prefeitura foi reassumida por Bernal, cassado em 2014. A nova gestão anunciou que o escalonamento será mantido.

Reajuste – Em outro processo, o Sisem cobra a reposição da inflação para os servidores, um reajuste de 8%. “O juiz negou a liminar e notificou a prefeitura para se manifestar em 60 dias”, afirma Tabosa.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions