A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

20/11/2014 16:45

Após calote da Prefeitura, usuário espera 6h e fica sem marcar consulta

Paulo Fernandes
Problema de marcação de consultas persiste no bairro Coronel Antonino (foto: Marcos Ermínio)Problema de marcação de consultas persiste no bairro Coronel Antonino (foto: Marcos Ermínio)

A interrupção do sistema Gisa, de marcação de consultas, nesta quinta-feira (20), trouxe transtorno para a população de alguns bairros de Campo Grande.

Na UBS (Unidade Básica de Saúde) Coronel Antonino, o agendamento foi suspenso. A dona de casa Adelaide Guimarães Teixeira, 53, ficou 6 horas esperando para marcar uma consulta, em vão. “Muita gente ficou esperando. Eu fiquei das 5 às 11 horas e aí falaram que não o sistema não estava funcionando para nada”, contou.

A espera continuou na UPA durante o período vespertino. Grávida, a dona de casa Luana Coelho, 20, não conseguiu marcar a consulta com o obstetra, mas aproveitou para tomar uma vacina.

Na UBS Tiradentes a situação é bem diferente. A diarista Aparecida Rodrigues, 50, não teve dificuldade para marcar consulta com o clínico geral. “Foi rápido, tranquilo, não teve demora”, disse.

Sem saída - A empresa Telemídia interrompeu o funcionamento do sistema Gisa das unidades de saúde por falta de pagamento pela Prefeitura de Campo Grande. O sistema está implantando em 61 postos de saúde da Capital.

Proprietário da Telemídia, Nain Beydoun afirmou que a empresa não recebe pagamento há dois anos e alegou não ter outra saída a não ser a interrupção do serviço.

A Secretaria Municipal de Saúde afirmou que, por enquanto, as unidades de saúde passarão a usar um antigo sistema de cadastro, chamado de Ija. Os médicos recadastrados no Gisa, vão voltar a usar aquele sistema até que o impasse com a Telemídia seja solucionado.

Abstenção em concurso da Câmara Municipal da Capital passa dos 30%
O domingo (17) foi de provas para milhares de campo-grandenses, tanto na manhã como no período da tarde, no concurso da Câmara Municipal, que segundo...
Com forte dores, mulher reclama de falta de atendimento em UPA
Mesmo apresentando fortes dores e inchaço na região do estômago, sem conseguir comer a três dias, uma mulher que procurou atendimento na UPA (Unidade...
Problema rotineiro, chuva causa alagamentos no bairro Cidade Morena
A chuva que atingiu Campo Grande no fim da tarde deste domingo (17) causou vários problemas à população, desde alagamentos a problemas estruturais em...


O sistema antigo da prefeitura para as unidades de saúde se chama Ighia e sempre funcionou muito bem, sei disso porque já fui servidora da Sesau e fazia plantões em postos de saúde. É uma vergonha saber que a prefeitura não paga há dois anos os serviços prestados pelo detentor do programa Gisa. Esse povo pensa o que? Que as pessoas são obrigadas a lhe fornecerem de graça seus produtos? É claro que quem sofre com isso é a população, mas eu acho correto eles suspenderem os serviços. E se a prefeitura tem seu próprio sistema, porque não o usa? Vão fazer o que fizeram com o prédio da Câmara? Simplesmente querem se apossar do que não lhes pertence? Onde vai o dinheiro dos impostos que pagamos à duras penas? Ele serve pra isso, pagar pelos serviços que são terceirizados...
 
Mariana Carvalho em 20/11/2014 22:18:52
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions