A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

29/07/2014 15:17

Após deixar filho de 11 anos só para ir ao bar, pai o esquece em abrigo

Lidiane Kober
Na Depca, delegada investiga, em média, 10 casos de abandono de incapaz (Foto: Arquivo)Na Depca, delegada investiga, em média, 10 casos de abandono de incapaz (Foto: Arquivo)

Após denúncia anônima, o Conselho Tutelar da região Sul de Campo Grande flagrou criança, de 11 anos, sozinha em casa. O pai abandonou o filho para ir até o bar e, passados 30 dias, não apareceu para tirar o menino do abrigo.

O caso não é isolado e se soma a pelo menos 10 ocorrências de abandono registradas, por mês, pela Depca (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente), na Capital.

Segundo o conselheiro tutelar Benedito Carlos da Silva Filho, o perfil da maioria dos pais que abandona e deixa os filhos em situação de risco é parecido. “Geralmente, são jovens que querem curtir a vida, não tem responsabilidade e às vezes são viciados em droga ou álcool”, comentou.

No caso específico do pai do menino esquecido há um mês no abrigo, ele classificou como total descaso. “O pai não quer nem saber da criança, não tem outra explicação para não dar sinal de vida e deixar um filho 30 dias no abrigo”, avaliou.

Para tentar dar outro destino ao menino, a equipe do Conselho Tutelar tenta com frequência localizar o pai. “Só temos o celular dele, mas nunca atende”, contou Benedito. Questionado sobre a mãe da criança, o conselheiro informou que ela faleceu.

Titular da Depca, a delegada Regina Márcia Mota reforçou que o perfil dos pais que deixam as crianças sozinhas em casa é semelhante. “Percebemos que são casais jovens, com baixa renda, baixo nível de escolaridade e muitos abusam de álcool e drogas”, detalhou.

Motivos fúteis - Para piorar a situação, na maioria dos casos, eles deixam os filhos por motivos fúteis. “Saem com a desculpa de dar uma saidinha rápida para ir ao bar ou a uma festa”, disse Benedito. “Por mês, recebemos, em média, 10 dessas denúncias”, contou a delegada.

No último sábado (26), por exemplo, uma mulher de 21 anos foi presa acusada de abandono de incapaz, na Vila Piratininga. De acordo com a Polícia Militar, ela deixou a filha, de um ano e 10 meses, trancada em casa para ir a uma festa de funk.

Vizinhos ouviram o choro da criança e acionaram a polícia. Para conseguir entrar na casa, os policiais tiveram que quebrar parte da porta. O bebê foi encontrado chorando e todo molhado.

Policiais fizeram rondas pelo bairro e encontraram a mulher, por volta das 4 horas do domingo (27), em uma conveniência. Ela foi presa em flagrante e corre o risco de ficar até três anos atrás das grades. Também pode pagar fiança e responder o processo em liberdade.

Com a prisão da mãe, o Conselho Tutelar tem a missão de encontrar um destino à criança. “A primeira medida é acolher o menor. Depois, tentamos localizar alguém da família. Se ninguém manifestar interesse, a criança fica no abrigo”, relatou Benedito.



Tem que prender, tem que tomar a criança e deixar crescer em orfanato mesmo, um pai desgraçado que larga o filho pra ir beber e depois ainda esquece? É cadeia no v...
 
maximiliano rodrigo antonio nahas em 29/07/2014 16:49:09
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions