A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

03/06/2011 21:11

Após “falso” estupro, polícia alerta sobre como proceder em caso de suspeita

Paulo Fernandes e Ana Paula Carvalho

O caso do menino de 10 anos que afirmou ter sido violentado sexualmente na tarde de ontem, mas depois disse ter inventado toda a situação, demonstra a necessidade dos pais de ter muito cuidado e bom senso no caso de suspeita de agressão contra os filhos. O alerta é da delegada Marília de Brito Martins.

“Em alguns casos, os pais não acreditam; em outros, eles superestimam. Tem sempre o bom senso, tem que deixar a criança tranquila para que ela não diga nada em um momento que estiver acuada”, afirmou. “O que não pode é deixar de levar em conta o relato da criança e nem considerá-lo uma verdade absoluta”, acrescentou.

Segundo a delegada, é preciso analisar o que a criança está falando, se tem lógica e se ela apresenta uma lesão correspondente. Além disso, é importante colher o maior número de informações possíveis.

Caso a desconfiança persista, o certo é levar a possível vítima a um psicólogo. “Se ainda assim você entender que aconteceu o abuso, a criança deve ser levada à delegacia, para apurar. O exame do corpo de delito é uma das provas”, disse.

No caso do menino que afirmou ter sido agredido sexualmente nas imediações de uma escola, no Jardim Flamboyant, em Campo Grande, a reação e o estado físico da criança não eram compatíveis com a agressão que ela afirmava ter sofrido.

Os dois homens que foram acusados do estupro registraram Boletim de Ocorrência por ameaça, após terem sido agredidos pelo crime que, para a polícia, nunca aconteceu. Feridos, eles foram ao IML (Instituto Médico Legal).

A polícia afirmou que antes de contar a história do suposto estupro, o menino foi agredido pela mãe por ter sido suspenso das aulas. A mãe ficou nervosa e bateu na criança que pode ter inventado a história por ter se sentido acuada.

Mas para a delegada, a princípio não há necessidade da mãe ser investigada por maus tratos.

Mesmo sem indícios do crime, a mulher continua acreditando na primeira versão apresentada pelo filho, de que foi estuprado.

Menino afirma que inventou estupro; não há indícios de crime
Para a polícia, criança não foi violentada.O menino de 10 anos que afirmou ter sido violentado sexualmente na tarde desta quinta-feira nas imediações...
Suspenso de aulas, menino de 10 anos diz que foi estuprado perto da escola
Suspeitos estão detidosUm menino de 10 anos diz que foi estuprado na tarde desta quinta-feira nas imediações de uma escola, no Jardim Flamboyant, em...


Antes de mais nada é preciso ver como é a relação entre mãe e filho. O segundo passo essa criança "D" é omesmo que tempos atrás se jogou em frente de uma moto para simular um atropelamento e ganhar indenização. A mãe ja tem passagem pela polícia por tentativa de assalto, já cumpriu pena. Pelo que consta o menino apesar da idade, não é de boa índole. É so investigar. Aos pedreiros que Deus os proteja, e que a sociedade não jugue por um crime que eles não cometeram.
 
Pedro Santiago em 04/06/2011 07:11:23
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions