ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, DOMINGO  19    CAMPO GRANDE 28º

Capital

Após não encontrar plantonistas, prefeito faz nova visita surpresa ao HU

Em 'vistoria' no dia 15 de janeiro, Marquinhos Trad não conseguiu falar com médicos responsáveis pela ortopedia do hospital, que não estavam em seus postos de plantão

Por Richelieu de Carlo | 29/01/2017 14:23
Marquinhos Trad cumprimento paciente no corredor do HU. (Foto: Marcos Ermínio)
Marquinhos Trad cumprimento paciente no corredor do HU. (Foto: Marcos Ermínio)

O prefeito Marquinhos Trad (PSD) fez, neste domingo (29), uma nova visita surpresa ao Pronto Atendimento Médico do HU (Hospital Universitário). Esta foi a segunda vez que ele ‘inspeciona’ a casa de saúde. Na primeira, o chefe do Executivo não encontrou os médicos ortopedistas que deveriam estar de plantão. Hoje, a situação foi “completamente diferente”.

Acompanhado do secretário de Saúde, Marcelo Vilela; do coordenador de urgência da Sesau (Secretária Municipal de Saúde Pública), Yama Higa, e de funcionários do HU, o prefeito andou por corredores, cumprimentou e conversou com pacientes, e verificou como estavam os principais setores do hospital.

Ao contrário da primeira visita no dia 15 de janeiro, também um domingo, quando a porta da ortopedia estava fechada e os médicos que deveriam estar no local não foram encontrados, hoje o prefeito finalmente conseguiu entrar no setor.

Ele falou com o ortopedista Fernando Matos, que estava de plantão e apresentou ao prefeito dados sobre procedimentos do setor. Enquanto em todo ano de 2016, foram realizadas 360 cirurgias; neste ano, nos últimos 10 dias, foram cerca de 60 procedimentos.

“Agora está tudo certo. Viu a diferença que faz as visitas? O que faltava antes era vontade da gestão do hospital”, disse Marquinhos Trad à reportagem do Campo Grande News, enquanto andava pelos corredores.

Marquinhos Trad conversa com os médicos plantonistas da ortopedia do HU. (Foto: Marcos Ermínio)
Marquinhos Trad conversa com os médicos plantonistas da ortopedia do HU. (Foto: Marcos Ermínio)

Um dos motivos do aumento de cirurgias da ortopedia foi um acordo feito com a prefeitura em que o Hospital Universitário passou a realizar procedimentos que antes eram repassados apenas para a Santa Casa de Campo Grande, que ficava com os corredores lotados de acidentados esperando horas por sua vez.

Mesmo antes deste acordo, já havia uma regulamentação que deixava ao encargo do HU a realização de cirurgias em fraturas de baixa e média complexidade.

O que aconteceu foi que, após a primeira visita surpresa, em que também encontrou leitos disponíveis e salas cirúrgicas vazias, o Executivo passou a cobrar que o HU recebesse diariamente pelo menos cinco pacientes da fila de espera da Santa Casa.

“São pessoas que ficavam paradas lá no corredor da Santa Casa. Já havia um acordo feito no passado, que agora retomamos, garantindo cirurgia de trauma ortopédico de média complexidade”, explicou o secretário de Saúde, Marcelo Vilela.

Prefeito no interior de uma das enfermarias da pediatria. (Foto: Marcos Ermínio)
Prefeito no interior de uma das enfermarias da pediatria. (Foto: Marcos Ermínio)

Interior – Assim como na primeira vistoria surpresa, Marquinhos constatou que o número de pessoas atendidas vindas de interior do Estado é maior do que da Capital. "Aqui são 4 do interior e 2 da Capital", disse o prefeito, após sair de uma enfermaria da pediatria.

O que foi confirmado pelo coordenador de serviços da enfermaria do HU, André Jesus, que afirmou ser a proporção de 70% a assistência para pacientes do interior, enquanto Campo Grande são 30%.

Apesar disso, a partir de fevereiro, quando haverá aumento nos repasses ao HU, Estado e Município vão investir R$ 500 mil cada um no hospital. Enquanto R$ 1,8 milhão será de repasses do Governo Federal.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário