ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
ABRIL, TERÇA  16    CAMPO GRANDE 23º

Capital

Após perder perna em acidente, policial luta para comprar prótese especial

Para voltarà rotina, mecanismo precisa ser articulado e específico; Material não é oferecido pelo SUS

Por Natália Olliver | 28/02/2024 13:37
Maki Carvalho Lanzarini teve perna amputada após acidente (Foto: Arquivo pessoal)
Maki Carvalho Lanzarini teve perna amputada após acidente (Foto: Arquivo pessoal)

Quase quinze dias após o acidente que fez o policial civil Maki Carvalho Lanzarini, 33 anos, ter a perna amputada, o servidor luta para conseguir uma prótese específica para voltar a trabalhar. O mecanismo não pode ser o oferecido gratuitamente pelo SUS (Sistema único de Saúde), pois não possuir articulação.

Segundo o policial, a prótese só permite uma locomoção simples e limitada, o que não ajuda no exercício da profissão e práticas esportivas. Para conseguir comprar o material, Maiki precisa de R$ 100 mil.

"A prótese para retorno às atividades normais de esportes e da particularidade do meu serviço é somente no particular".

O acidente aconteceu no cruzamento da rua Ceará com a Amazonas, no dia 14 de fevereiro, durante as férias do agente. Ele estava jantando com a namorada em um espetinho e retornava de moto para casa, na Vila Nasser, quando foi atingido por um Volkswagen Voyage.

Policial civil Maki Lanzarini fazendo gesto de força durante vistia de amigos de farda após amputação da perna (Foto: arquivo pessoal)  
Policial civil Maki Lanzarini fazendo gesto de força durante vistia de amigos de farda após amputação da perna (Foto: arquivo pessoal)

Apesar do cenário, Maki está esperançoso que vai conseguir o componente artificial e voltar a vida normal. “Tá difícil lidar com a dor, mas o psicológico está bom”. O policial está aos cuidados da mãe, em um apartamento sem elevador.

Ele conta que a rotina tem sido cansativa, embora só consiga ficar deitado. "Somente em casa, deitado, pois a perna amputada deve ficar sempre para cima. Saio apenas para exame, consulta médica".

Para conseguir o valor da prótese, Mike está fazendo uma vaquinha on-line. A meta é conseguir o recurso em até 60 meses. Quem quiser ajudar pode entrar nesse link e contribuir.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias