A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 22 de Abril de 2019

07/01/2019 14:06

Após prazo de 5 anos, CCR só duplicou 18,7% do previsto na BR-163

Contrato previa a duplicação de 798 km da rodovia entre 2014 e 2019, mas ação foi ajuizada pela concessionária que quer reequilibrio contratual.

Mirian Machado
Obras de duplicação foram paralisadas, mas cobrança do pedágio continua (Foto: Henrique Kawaminami)Obras de duplicação foram paralisadas, mas cobrança do pedágio continua (Foto: Henrique Kawaminami)

Dos 845 quilômetros de via entre Mundo Novo e Sonora, o contrato do governo federal firmando com a CCR MSVia prevê a duplicação de 798 km, mas em cinco anos –prazo inicial- o serviço foi concluído em apenas 150 km da BR-163 em Mato Grosso do Sul.

A CCR assumiu a concessão em 2014 e, no ano seguinte, após duplicar 90 quilômetros da rodovia, iniciou a cobrança do pedágio que continua sendo cobrado mesmo após a paralisação das obras. Atualmente, apenas os serviços de manutenção da pavimentação estão sendo feitos.

A empresa ajuizou a ação, após tentar, sem sucesso, rever o contrato de concessão junto a ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) e agora quer que haja uma readequação do cronograma de investimentos previstos nas cláusulas originais.

Ainda faltam 648 km a serem duplicados da BR-163 em Mato Grosso do Sul (Foto: Henrique Kawaminami)Ainda faltam 648 km a serem duplicados da BR-163 em Mato Grosso do Sul (Foto: Henrique Kawaminami)

Conforme a concessionária, o grupo quer encontrar uma solução junto com a União para continuar os investimentos no Estado.

Ainda segundo dados da CCR, desde 2014, quando conquistou a concessão, foram injetados na rodovia mais de R$ 1,9 bilhão os quais foram investidos em 150 quilômetros de duplicação, estes entregues até junho de 2018, além de mais de 520 quilômetros de obras de melhorias em pavimentação. A empresa ainda calculou uma redução de 78,5% no número de acidentes fatais nesse tempo.

São 80 viaturas atuando em 17 bases operacionais através do SAU (Sistema de Atendimento ao Usuário) e cerca de 500 trabalhadores.

Enquanto não há um retorno do governo federal, as obras continuam paralisadas, mas os serviços de manutenção continuam todos os dias.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions