A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 25 de Setembro de 2018

16/01/2018 17:55

Após problema na Brilhante, Prefeitura diz que obra na 14 depende da Águas

Licitação para obras pode atrasar caso o impasse não seja sanado

Kleber Clajus
Prefeitura tem cronograma para executar obras na 14 de Julho a partir de fevereiro (Foto: Divulgação)Prefeitura tem cronograma para executar obras na 14 de Julho a partir de fevereiro (Foto: Divulgação)

Depois de enfrentar problemas com rede de água e esgoto na Rua Brilhante, a Prefeitura de Campo Grande cobra da concessionária Águas Guariroba cadastro atualizado de tubulações na 14 de Julho. A tão sonhada intervenção estaria pendente do documento para ser licitada.

O adjunto da Sisep (Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos), Ariel Serra explicou ao Campo Grande News que cadastro técnico entregue pela empresa não possui nível de detalhamento adequado. "Ali tem rede construída em 1930. Entregaram os projetos e não temos informações suficientes. Se não sabem o que tem lá como podemos adivinhar?"

Principal intenção da cobrança, conforme Serra, consiste em evitar atrasos como da entrega da Brilhante, causada em 50% pela surpresa de tubulações que não estavam previstas. "Se tiver alguma revisão vamos pedir antes para não contratar errado. Já enviamos notificação".

Em nota, a Águas Guariroba ressaltou que a base de cadastro de redes de água e esgoto se encontra atualizada. No documento constam dados como o diâmetro, material da tubulação, profundidade e suas peças componentes. "O último ofício que recebemos da Prefeitura com o assunto das obras da Rua 14 de julho solicitava planejamento de obras da concessionária no local. O documento foi respondido em setembro de 2017", esclareceu.

No aguardo - A prefeitura pretende executar, a partir de fevereiro, obras de requalificação da área central com mudança no cabeamento de energia elétrica, na pavimentação e drenagem da Rua 14 de Julho. Licitação para as obras, que tem duração de 40 meses, pode atrasar se o impasse com a documentação solicitada junto a concessionária não for sanado.

Intervenções contemplam entre 12 a 14 quadras, com extensão de 1,4 km, sendo utilizados tapumes para não prejudicar o acesso de clientes as lojas. A expectativa é de que as obras durem em média dois meses em cada quadra.

Compõe a primeira etapa do projeto mudanças na fiação elétrica, drenagem, pavimentação, calçada, paisagismo e mobiliário. A proposta inclui ainda alteração nas redes de distribuição de água, gás e coleta de esgoto, assim como acessibilidade, sinalização viária, iluminação e paisagismo. Histórico relógio da 14 de Julho com Avenida Afonso Pena também deve voltar.

Os serviços, conforme a assessoria da prefeitura, iniciam mediante emissão de ordem de serviço junto a empresa consultora contratada. Prazo final para execução das obras é de 40 meses, incluindo melhorias similares, com extensão de 15,7 km, nas ruas adjacentes.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions