ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, TERÇA  09    CAMPO GRANDE 12º

Capital

Assassino de idoso é preso 15 horas após latrocínio no Centenário

Família revelou que Wilson Pereira dos Santos, de 62 anos, era agiota e acredita que foi vítima de emboscada

Por Dayene Paz | 30/06/2022 12:56
Viatura da PM na frente da casa da vítima, no Jardim Centenário. (Foto: Bruna Marques)
Viatura da PM na frente da casa da vítima, no Jardim Centenário. (Foto: Bruna Marques)

Policiais da Defurv (Delegacia Especializada de Repressão a Roubos e Furtos de Veículos) e do GOI (Grupo de Operações e Investigações) prenderam o suspeito de matar Wilson Pereira dos Santos, de 62 anos, encontrado na manhã desta quinta-feira (30), na residência onde morava, na Rua Granada, Jardim Centenário, em Campo Grande.

A família informou que o crime ocorreu na noite desta quarta-feira (29). O suspeito foi preso no final da manhã de hoje, cerca de 15 horas depois.

O delegado Roberto Guimarães e equipe iniciaram as diligências assim que foram comunicados do crime. Ele informou que se trata de um caso de latrocínio, pois um carro da vítima, além de outros pertences, foram levados pelo autor. A polícia também localizou a arma usada no latrocínio e o carro da vítima.

A família informou que além de trabalhar com frete e guincho, Wilson emprestava dinheiro a juros. Contudo, não há informações se o crime tenha ligação com a agiotagem.

Encontrado morto - A irmã de Wilson conversou com a reportagem do Campo Grande News na frente da casa enquanto acompanhava os trabalhos policiais nesta manhã. A mulher de 48 anos contou que o irmão teria sido vítima de uma emboscada, pois recebeu mensagem na noite desta quarta-feira (29) do suspeito.

"Esse cara que matou ele ontem a noite mandou uma mensagem falando que estava aqui na frente da casa esperando ele", disse. Segundo a mulher, Wilson estava assistindo novela na casa da namorada, que mora perto. "Ele saiu de lá e veio, vizinhos escutaram tiros, mas ninguém saiu para ver", afirma.

O corpo só foi encontrado nesta manhã depois que um rapaz passou, viu o caminhão na frente da casa e estranhou porque Wilson sempre guardava no quintal. "O amigo do meu sobrinho ligou para ele falando 'o caminhão do seu pai está aqui na frente, a gente chama e ninguém atende'. Meu sobrinho foi lá e achou ele morto", lamenta.

Ainda, a irmã disse que o autor levou o celular e a carteira da vítima, com dinheiro e documentos. "Ele emprestava dinheiro a juros e não guardava no banco, ficava com ele".

Nos siga no Google Notícias