ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, QUARTA  29    CAMPO GRANDE 25º

Capital

Cachorro invade casa e é morto a tiro de pistola por policial civil

Por Edivaldo Bitencourt e Michel Faustino | 23/06/2015 15:57
Perita analisa cão morto por investigador após invadir sala no Monte Castelo (Foto: Marcos Ermínio)
Perita analisa cão morto por investigador após invadir sala no Monte Castelo (Foto: Marcos Ermínio)

Um cachorro invadiu uma casa e foi morto com um tiro de pistola por um investigador da Polícia Civil por volta das 15h desta terça-feira (23) na esquina das ruas Júlio Dittmar e 13 de Junho, no Bairro Monte Castelo, em Campo Grande. A dona do animal passou mal em seguida e poderá ser indiciada por omissão de cautela.

Dois cães de porte médio, que seriam da mistura das raças pitbull com vira-lata, invadiram o terreno da residência do investigador Ortiz, como ele se identificou, na tarde de hoje. Um dos cães saiu e o outro entrou na sala, onde estava a mãe do policial, de 80 anos idade. O cão começou a latir e ameaçar a idosa e uma cadelinha de estimação da família.

O policial disse que ouviu o barulho, foi até a sala para ver o que estava acontecendo e se deparou com o cão rosnando, agressivo e em postura de ataque. Ortiz relata que gritou com o animal, mas ele não saiu e tentou lhe morder. Ao se ver ameaçado, o investigador sacou a pistola e efetuou um único disparo, que atingiu as costas do animal. O cão caiu e morreu na entrada da residência.

O delegado Wilton Vilas Boas de Paula, titular da Decat (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Ambientais e Proteção ao Turista), disse que o policial usou uma pistola para se defender e matar o animal. A proprietária do cão é uma mulher de 65 anos, que foi ao local após o incidente. Ela passou mal ao ver o animal morto.

O caso será investigado pela 1ª Delegacia de Polícia, no Centro, segundo Wilton Vilas Boas. O investigador não deve responder criminalmente pelo caso porque a polícia entende que agiu em legítima defesa. Já a proprietária poderá responder por omissão de cautela.

Segundo um vizinho, que não quis se identificar, os cães são dóceis e vivem nas ruas do Bairro Monte Castelo. Ele contou que os animais saíram da casa 30 minutos antes do incidente.

Nos siga no Google Notícias