ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JULHO, QUINTA  18    CAMPO GRANDE 20º

Capital

Caminhada pelo Dia do Autista leva prefeito e 400 ao Parque das Nações

Anahi Zurutuza e Leonardo Rocha | 02/04/2017 10:28
Caminhada no Parque das Nações; percurso programado era de 5 km (Foto: André Bittar)
Caminhada no Parque das Nações; percurso programado era de 5 km (Foto: André Bittar)
Prefeito prestigiou evento (Foto: André Bittar)
Prefeito prestigiou evento (Foto: André Bittar)

A 1ª Caminhada de Conscientização do Autismo, promovida pela AMA (Associação de Pais e Amigos do Autista), reuniu ao menos 400 pessoas no Parque das Nações Indígenas, em Campo Grande, na manhã deste domingo (2). O prefeito, Marquinhos Trad (PSD), esteve no local e a Liga do Bem também participa do evento.

A caminhada, com percurso de 5 km, tem objetivo de arrecadar recursos para a entidade sem fins lucrativos fundada há 27 anos. “Temos convênio com o poder público para o pagamento dos funcionários, mas temos de fazer eventos para ter dinheiro para o custeio”, explica a presidente da associação, Maria Rubia Gamon.

A AMA tem matriculadas atualmente 101 crianças de Campo Grande e do interior. No local, são feita atividades pedagógicas e os autistas recebem assistência médica, oferecida por profissionais de fonoaudiologia, fisioterapia, psicólogos e psiquiatras.

Foram cobrados R$ 15 de inscrição para a caminhada e R$ 30 pela camiseta. De acordo com a presidente, pelo menos 400 pessoas se inscreveram.

Além de arrecadar recursos para a AMA, o evento tem objetivo de conscientiza sobre o autismo e aproximar crianças com a deficiência da sociedade.

O prefeito Marquinhos Trad comentou sobre o assunto. “É importante. Leva as pessoas a refletirem para incluírem os autistas na sociedade e não excluí-los”.

Luciane Gerike, mãe Antony de Lima, 4 anos, está na fila de espera por uma vaga na AMA e fez questão de participar da caminhada. “A gente tem de prestigiar para que o trabalho deles possa continuar a ser feito. Tive as melhores referências sobre a associação e não tenho condições de pagar pelos tratamentos que meu filho preciso, por isso o trabalho deles é tão importante”.

Nos siga no Google Notícias