ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, SEXTA  12    CAMPO GRANDE 15º

Capital

Capital mantém toque de recolher a partir de 22h

Apesar de ter classificação "laranja" e aval para flexibilizar, prefeitura não vai mudar o horário

Por Gabriel Neris | 11/02/2021 09:14
Imagem aérea da 14 de Julho durante o toque de recolher (Foto: Gabriel Marchese)
Imagem aérea da 14 de Julho durante o toque de recolher (Foto: Gabriel Marchese)

Não terá impacto em Campo Grande a decisão do governo do Estado de afrouxar em uma hora o toque de recolher para municípios classificados no Prosseguir (Programa de Saúde e Segurança na Economia) com bandeira laranja e amarela.

O município decidiu seguir com o horário atual e não adotar o limite entre 23h às 5h do dia seguinte, sugerido pelo programa.

De acordo com o procurador-geral de Campo Grande, Alexandre Ávalo, há possibilidade de mudança somente após o Carnaval. Atualmente, o toque de recolher imposto pelo município é das 22h às 5h.

O Estado publicou na edição desta quinta-feira (11) a classificação do Prosseguir, mantendo Campo Grande em bandeira laranja, quando é considerado grau médio para risco de contaminação da covid-19, permitindo atividades essenciais e não essenciais de baixo e médio risco.

Entre as atividades estão ambulantes, qualquer representação comercial, hoteis, moteis, albergues e outros tipos de alojamentos, comércios atacadista e varejista, bares, restaurantes, atividades religiosas presenciais, pet shop, shopping e feiras livres.

Além do horário do toque de recolher ser mantido, na quarta-feira a Prefeitura de Campo Grande publicou em Diário Oficial decreto que proíbe qualquer atividade pública ou privada durante o Carnaval. O veto começa na sexta e termina na quarta-feira.

Também proíbe consumo de bebida alcoólica em conveniências para evitar aglomeração. A venda está permitida. Concessões e alvarás durante o período de Carnaval também foram suspensos.

Procurado, o presidente da Abrasel (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes), Juliano Wertheimer, a reunião realizada nesta semana com a Prefeitura da Capital e o governo do Estado era para alinhar os decretos do toque de recolher. "Esperamos e torcemos para que hoje ainda decrete toque às 23h", afirmou. Entretanto, Juliano afirmou que o setor obedecerá o toque das 22h, caso não haja mudança. "Vamos seguir o mais restritivo para trabalhar", completou.

Mato Grosso do Sul chegou a 167.786 casos de covid-19. São 3.070 mortes relacionadas à doença. Em Campo Grande são 70.735 pessoas contaminadas desde o início da pandemia e 1.349 óbitos.

De acordo com a SES (Secretaria Estadual de Saúde), a ocupação global de leitos de UTI (Unidades de Terapia Intensiva) na macrorregião de Campo Grande é de 74%.

*Matéria editada às 10h08 para acréscimo de informações

Nos siga no Google Notícias