ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MAIO, SEGUNDA  20    CAMPO GRANDE 16º

Capital

Capital pode ter 3.310 mil novos casos de câncer até 2025

Dia Mundial de Prevenção à doença alerta sobre importância de diminuir os riscos da neoplasia

Por Natália Olliver | 04/02/2024 09:46
Paciente em tratamento no HCAA (Hospital de Câncer de Campo Grande Alfredo Abrão) (Foto: Henrique Kawaminami)
Paciente em tratamento no HCAA (Hospital de Câncer de Campo Grande Alfredo Abrão) (Foto: Henrique Kawaminami)

Campo Grande pode ter 3.310 novos casos de câncer até o próximo ano. O número é uma estimativa feita pelo INCA (Instituto Nacional do Câncer) e considera o triênio de 2023-2025. A maior incidência poderá ser do câncer de pele não melanoma, com 730 ocorrências ao ano, seguido do câncer de próstata, com 420 e o câncer de mama, com 390.

Conforme dados da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), em 2022 foram 1.839 casos no município. A pasta informou que ainda não há dados consolidados sobre o ano de 2023 e , consequentemente, de 2024.

O tratamento de pacientes com câncer é feito nos hospitais habilitados na Unacon (Unidade de Alta Complexidade em Oncologia), composta pelo Hospital Regional, Hospital Universitário, Santa Casa e Hospital de Câncer Alfredo Abrão.

Em 2023 o HCAA (Hospital do Câncer) realizou quase 59 mil consultas, 16 mil quimioterapias e 1.116 radioterapias. Para ressaltar a importância do Dia Mundial de Prevenção à doença, feita neste domingo (4), o cirurgião oncológico, Cezar Augusto Vendas Galhardo, explica que mudar hábitos é necessário para diminuir o risco do câncer.

Entre as dicas estão realizar atividade física, se alimentar de maneira mais balanceada, com menos consumo de industrializados e processados.

“O principal alerta é quanto aos hábitos de vida. O câncer vem aumentando por diversos fatores; primeiro porque o ser humano vem vivendo mais e, ao mesmo tempo, cada vez mais temos pessoas mais sedentárias; mais obesas; menos praticantes de atividade física regular; com alimentação cada vez mais rápida e errada, como fast food, comidas prontas cheias de conservante, refrigerantes, bebidas alcoólicas e consumo do tabaco em suas diversas formas. Esses são os fatores que a gente tem de combater”.

O médico que atende pela Unimed acrescenta que a alimentação é a chave de tudo e pode impactar diretamente no aparecimento ou não da doença.

“Locais em que se consome menos carne vermelha, tendem a ter incidência menor de câncer no intestino. Porém, em contrapartida, tendem a ter incidência maior de câncer de estômago. Então, o ideal é ter hábitos saudáveis; atividade física regular e alimentação balanceada. Isso porque quando se come só uma coisa, é possível que se escape de um tipo de tumor e caia em outro”.

Outro fator que pode contribuir com o aparecimento do câncer de pulmão, cavidade oral, boca e laringe é o tabagismo. E, a preocupação que antes era motivada exclusivamente pelo cigarro, hoje é causada pelos cigarros eletrônicos. “A gente acredita que podemos ter uma geração de câncer por vape em alguns anos”.

Além da alimentação, os exames preventivos são fatores decisivos contra o câncer. É necessário que homens façam o check-up chamado PSA, que pode diagnosticar o câncer de próstata.

Já as mulheres acima de 40anos  precisam fazer a mamografia anualmente. A colonoscopia, exame que visualiza o intestino grosso até chegar ao delgado, é indicado para pessoas acima de 45 anos, tanto homens quanto mulheres.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias