ACOMPANHE-NOS    
DEZEMBRO, SEXTA  03    CAMPO GRANDE 22º

Capital

Capital tem calendário adiantado e mantém vacinação da 2ª dose da Astrazeneca

Situação é diferente de outras cidades, que estudam completar imunização com Pfizer

Por Aline dos Santos | 12/09/2021 18:32
Vacinação com segunda dose com Astrazeca prossegue em Campo Grande. (Foto: Henrique Kawaminami)
Vacinação com segunda dose com Astrazeca prossegue em Campo Grande. (Foto: Henrique Kawaminami)

Campo Grande tem estoque da segunda dose de Astrazeneca para os próximos sete dias e, neste cenário, não deve adotar o intercâmbio de vacinas contra a covid-19.

Conforme a prefeitura, a última remessa de Astrazeneca foi enviada pelo Ministério da Saúde a Mato Grosso do Sul, no dia 2 de setembro. Campo Grande recebeu, aproximadamente, 5,8 mil doses  que devem ser suficientes para dar andamento na aplicação da segunda dose ao menos pelos próximos sete dias.

“Considerando que a Capital está com o calendário adiantado em 30 dias, mesmo que haja uma interrupção momentânea no envio de novas doses, não deve haver atraso na imunização”, informa a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde).

A estratégia de adiantar o calendário de segunda dose da Astrazeneca deve garantir que a Capital atravesse o período de redução na distribuição das vacinas sem que haja prejuízos no andamento da imunização da população. Enquanto isso, várias cidades do País e de Mato Grosso do Sul sofrem com a falta do imunizante e cogitam utilizar outras vacinas para completar o ciclo vacinal.

Em Mato Grosso do Sul, alguns municípios enfrentam a falta de Astrazeneca e a SES (Secretaria Estadual de Saúde) anunciou que estuda usar a intercambialidade de vacina com a Pfizer para completar o ciclo vacinal de pessoas que estão com a segunda dose em atraso.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário