A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

04/02/2015 19:31

Casa da Mulher Brasileira registra cinco prisões em 30h de atendimento

Alan Diógenes
Em 30h de atendimento, Casa da Mulher brasileira registrou cinco prisões. (Foto: Alcides Neto)Em 30h de atendimento, Casa da Mulher brasileira registrou cinco prisões. (Foto: Alcides Neto)
Delegada Marília de Britto disse que entidade vai ajudar no combate à violência contra a mulher. (Foto: Alcides Neto)Delegada Marília de Britto disse que entidade vai ajudar no combate à violência contra a mulher. (Foto: Alcides Neto)

Após 30 horas da inauguração da Casa da Mulher Brasileira, a Polícia Civil prendeu cinco homens e registrou 21 boletins de ocorrência de violência doméstica. Quatro prisões foi em flagrante e uma foi um cumprimento de mandado de prisão.

Conforme a delegada plantonista, Marília de Britto Martins, a primeira prisão realizada pela Casa da Mulher aconteceu ontem a noite na Rua dos Navegantes, no Bairro Jardim Novo Estados. Durante a ocorrência, a esposa revelou que o marido a agrediu, tentando estrangula-lá, a empurrando, além de jogar uma panela com comida nela. O autor foi autuado em flagrante por prática de lesão corporal e injúria, já que o acusado chamou a esposa de “biscate” e “vagabunda.

A segunda prisão aconteceu no Centro da Capital, na Rua 14 de Julho, às 9h desta quarta-feira (4). Um homem foi detido por injúria e lesão corporal contra a companheira. A terceiro acusado foi preso na Rua Ana Anache, no Jardim Anache, às 13h50.

A quarta prisão aconteceu na Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher) da Rua Sete de Setembro. Uma vítima de violência doméstica disse que o marido tinha um revólver. O juiz emitiu mandado de busca e apreensão da arma de fogo e os policiais conseguiram prender o homem em um bairro da Capital.

O quinto caso foi um cumprimento de prisão em aberto. Um eletricista de 41 anos que trabalhava na desmontagem da estrutura armada para receber a presidente Dilma Rousseff (PT) foi preso pela Guarda Municipal quando ainda realizava o trabalho.

A delegada Marília de Britto não quis identificar os presos, por que os inquéritos correm em segredo de Justiça. "Por se tratar de questões de família é melhor não expor vítimas e agressores”, ressaltou.

Além disso, a delegada mencionou a importância da Casa da Mulher Brasileira. “A implementação do plantão 24h em apenas um mês do novo governo representa o compromisso do Estado no combate à violência contra a mulher”, finalizou.

Outros dez casos de violência foram registrados na Deam da Sete de Setembro. Enquanto a equipe do Campo Grande News estava na Casa da Mulher Brasileira chegou mais um caso que deve ser apurado por outra delegada se é ou não de violência contra a mulher.

Acusados estão detidos em celas da Casa da Mulher Brasileira e irão ser encaminhados ao presídio. (Foto: Alcides Neto)Acusados estão detidos em celas da Casa da Mulher Brasileira e irão ser encaminhados ao presídio. (Foto: Alcides Neto)


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions