A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

01/12/2014 12:17

Caseiro matou garoto a tiros ao confundi-lo com invasor, diz polícia

Renan Nucci
Mãe do menino foi socorrida após passar mal ao saber da morte da criança (Foto: Alcides Neto/Arquivo)Mãe do menino foi socorrida após passar mal ao saber da morte da criança (Foto: Alcides Neto/Arquivo)

A delegada Daniela Kades, da 3ª Delegacia de Polícia de Campo Grande, concluiu que Antônio Rosa de Souza, 59 anos, atirou e matou o menino Paulo Ricardo de Lima Simão, 10 anos, em uma chácara nas proximidades do lixão do Jardim Noroeste, na saída da Capital para Três Lagoas, na sexta-feira (28). O autor está foragido, mas a polícia acredita que ele deve se apresentar.

A delegada explica que Antônio era o caseiro da chácara há cerca de três anos. A suspeita é de que ele tenha confundido a criança com um invasor, e atirado. Após o crime ele correu até um posto de combustíveis da região e relatou o caso a um frentista, alegando que havia cometido uma “burrada”.

Ele deixou as chaves da chácara com o funcionário do posto e depois fugiu com a família. “O frentista acabou confessando tudo em depoimento. Ele foi demitido, mas disse que Antônio o procurou para dizer que tinha matado uma criança”, explicou Daniela, lembrando que a arma ainda não foi apreendida.

Apesar das suspeitas iniciais, a motivação ainda é um mistério. A mãe Luciana de Lima Simão, 27 anos, disse que o filho, especial, tinha o hábito de brincar nas imediações da chácara. Quando ela descobriu o ocorrido, chegou a sofrer uma parada cardíaca. Vizinhos disseram que durante a madrugada dos fatos, ouviram disparos de arma de fogo. O caso segue sob investigação.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions