A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

25/03/2016 10:02

Chuva alaga barracos e moradores encaram atoleiro em nova favela

Aline dos Santos e Antonio Marques
Chuva e lama no terreno do bairro Vespasiano Martins. (Foto: Antonio Marques)Chuva e lama no terreno do bairro Vespasiano Martins. (Foto: Antonio Marques)

A chuva forte transformou o terreno do bairro Vespasiano Martins em um atoleiro e faz as famílias removidas da Cidade de Deus, no Dom Antônio Barbosa, terem saudade da favela. “A situação está pior do que na Cidade de Deus”, afirma Maria Lúcia da Silva, 53 anos, que teve o barraco alagado no temporal da madrugada de hoje (dia 25).

As famílias foram removidas da favela no começo do mês, mas, no novo endereço, convivem com situação ainda mais precária. Os imóveis estão em fase de construção. A obra mais adiantada é da casa de Maria. A previsão de término é de 90 dias. “Nem lá na favela fazia esse barreiro”, reclama. Ela divide o barraco com duas filhas e a neta de dois anos.

Ângela Lemos, 45 anos, conta que a água entrou em seu barraco por “cima e por baixo”. Do solo, veio o alagamento. De cima, a lona fina doada pela prefeitura, enfraquecida pelo sol e vento, não resistiu à chuva forte. “Ficou tudo molhado. No momento, o mais urgente seria cobrir o barraco”, diz.

Maria Lúcia disse que a água da chuva levou lama para dentro do barraco (Foto: Simão Nogueira)Maria Lúcia disse que a água da chuva levou lama para dentro do barraco (Foto: Simão Nogueira)

O pedido de que a prefeitura mande lona mais resistente também é feito pela diarista Rosimeire Marques Gomes, 43 anos. “A lona arrebentou e ficou a céu aberto. Molhou tudo”, relata. Ela conta que já tem poucos pertences e se preocupa com novas perdas.

“Vou ver se a gente consegue arrumar um guarda-roupinha usado. As roupas estão tudo molhando”, diz. Na manhã desta sexta-feira, a prefeitura ainda não tinha disponibilizado lona. No local, há equipes da Guarda Municipal e que trabalha na construção dos imóveis. A prefeitura vai subsidiar parte do terreno e os moradores vão pagar o restante em 300 parcelas.

A Defesa Civil foi ontem ao terreno no Vespasiano. A informação é de que três barracos alagaram. Segundo os moradores, todos foram atingidos. Uma equipe também foi ao Bom Retiro, também endereço de moradores removidos da favela, mas sem registro de alagamentos.

De acordo com o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), o volume de chuva soma 85 mm (milímetros) desde a tarde de ontem (dia 24).

Rosemeire Gomes mostra que a chuva e o vento rasgou a lona e deixou parte do barraco descoberto. Dentro ficou praticamente tudo molhado (Foto: Simão Nogueira)Rosemeire Gomes mostra que a chuva e o vento rasgou a lona e deixou parte do barraco descoberto. Dentro ficou praticamente tudo molhado (Foto: Simão Nogueira)


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions