A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 22 de Janeiro de 2018

11/04/2012 16:32

Chuva rápida alaga casas e deixa moradores da Nha-Nhá desesperados

Elverson Cardozo

Revoltados, moradores prometem nova manifestação para chamar a atenção do poder público

Água da chuva chegou a 1,3 metro, segundo o Corpo de Bombeiros. (Foto: João Garrigó)Água da chuva chegou a 1,3 metro, segundo o Corpo de Bombeiros. (Foto: João Garrigó)

A chuva que caiu na tarde desta quarta-feira (11) durou pouco mais de duas horas, mas foi o suficiente para alagar casas, destruir móveis e deixar os moradores da Vila Nha-Nhá desesperados.

Na rua Sol Nascente, bueiros entupidos e muito lixo. Moradora do bairro há pouco mais de um ano, a manicure Roseli Martinez, de 27 anos, teve de deixar a casa - com os filhos de 3 e 10 anos - às pressas. A residência, que tem 5 cômodos, ficou completamente alagada.

A água, segundo o Corpo de Bombeiros, chegou a quase 1,3 metro. “Em questão de 10 minutos eu estava com minhas coisas e agora não tenho mais nada. Nem minhas roupas para vestir”, declarou.

A geladeira foi parar na lavanderia e a máquina de lavar roupas, na sala. A manicure conta que não há como evitar a enxurrada e reclama da falta de estrutura no bairro e atenção do poder público.

Moradores tentam salvar móveis. (Foto: João Garrigó)Moradores tentam salvar móveis. (Foto: João Garrigó)
Bueiros estouraram na rua Sol Nascente. (Foto: João Garrigó)Bueiros estouraram na rua Sol Nascente. (Foto: João Garrigó)

“A Nha-Nhá só é lembrada quando acontece algum assassinato ou alguém é preso por tráfico de drogas”, critica.

Segundo moradores, a situação é recorrente. Maria de Lourdes saiu mais cedo do serviço para chegar a tempo de, pelo menos, salvar alguns dos móveis. É a segunda vez que têm a casa alagada.

Alguns moradores tiveram de deixar casas às pressas. (Foto: João Garrigo)Alguns moradores tiveram de deixar casas às pressas. (Foto: João Garrigo)

Na hora da chuva, estava na companhia do filho mais velho e do neto. Conta que os móveis ficaram “boiando“. “A gente fica apavorada tentando erguer as coisas”, relata.

Maria de Lourdes afirma que os moradores pretendem fazer nova manifestação para chamar a atenção das autoridades. Na primeira, conta, a população fechou a avenida Ernesto Geisel.

Segundo a dona de casa, o problema dos alagamentos começou a cerca de dois anos. A água desce em uma velocidade muito grande e não dá tempo para fazer muita coisa.

Grávida de 8 meses e com o outro filho de 2 anos no colo, Natália Murer, de 18 anos, não teve a mesma sorte. Só deu tempo de sair correndo da casa alugada e, ainda assim, se machucou. “Eu cai e agora estou sentido cólica”, disse. “Não tenho colchão nem para dormir hoje”, afirmou.

“A gente fica apavorada tentando erguer as coisas”. (Foto: João Garrigó)“A gente fica apavorada tentando erguer as coisas”. (Foto: João Garrigó)

Na casa ao lado a de Roseli, Wanderlei Rodrigues, de 44 anos, contabilizava os prejuízos. Não é a primeira vez que tem que deixar o imóvel às pressas. Como é cadeirante, a dificuldade é ainda maior.

Hoje, por exemplo, quando percebeu que iria chover, foi à casa de um amigo. “Eu assisto televisão e quando vejo que o negócio vai ficar feio eu saio de casa”, disse.

Pelo menos 6 casas da rua Sol Nascente ficaram alagadas. O Corpo de Bombeiros foi acionado e já havia iniciado os trabalhos para escoar a água.

Segundo o meteorologista Natálio Abrão, da estação Uniderp/Anhanguera, a chuva desta tarde começou às 1h30 e terminou às 15h10.



Continuando.
... Não adianta só reclamar do poder público, tem que cobrar a parte dele e cada um fazer a sua, existe uma lei quanto as calçadas que na cidade toda é negligenciada, exite uma lei sobre calçar o terreno que quase todas as casas do bairro ignoram, ai chove forte dá nisso.
Falta mesmo é bom senso e inteligência nessa cidade.
Falei!
 
Oswaldo Benites em 12/04/2012 01:30:52
Bom gente morei dois anos na Nha nhá, nunca tive grandes problemas com a chuva, porém vejo algumas situações, fora o abandono da prefeitura que é um fato por ali, obras mau planejadas de drenagem da parte alta da Av Fábio Zahan, Jockey Club, tem muito morador que corta as árvores, concreta toda a calçada e terreno, e ainda tem muito lixo na rua jogado pelas próprias pessoas...
Continua.
 
Oswaldo Benites em 12/04/2012 01:28:26
Esse negócio de fazer manifestação só faz barulho e ainda ajuda oportunistas políticos. As famílias da Vila Nha-Nhá deveriam é unir-se numa grande ação judicial contra o Poder Público. Até quando essas famílias aguentarão tamanho descaso, tamanho desprezo por parte das autoridades? Ali, como em todo lugar, tem sim gente ruim, mas em sua grande maioria são pessoas de bem e merecem respeito.
 
Fernando Silva em 11/04/2012 09:44:20
Quem joga lixo na rua? O próprio morador.
Quem não fez o devido aterro no terreno? O próprio morador.
Manifestação contra eles mesmos....
 
Carla Dos Santos em 11/04/2012 08:04:35
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions