A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

10/06/2013 19:03

Ciclistas realizam manifesto a favor da manutenção da ciclovia na Afonso Pena

Evelyn Souza
Ciclovia foi inaugurada em dezembro do ano passado. (Foto: Marcos Ermínio)Ciclovia foi inaugurada em dezembro do ano passado. (Foto: Marcos Ermínio)

Vereador Eduardo Romero (PTdoB) está organizando um manifesto em defesa do tombamento do canteiro central e da manutenção da ciclovia, da Avenida Afonso Pena. O ato está marcado para acontecer na próxima quinta-feira (13), às 9h30 e deve reunir ciclistas de toda cidade.

Segundo vereador, o objetivo é mostrar que os ciclistas são a favor da decisão do Conselho Municipal de Cultura, desde que a ciclovia, seja mantida. “A construção da ciclovia foi um pedido da população, que veio desde 2009. O investimento foi de R$ 147 mil delimitados do PAC. Entendemos que o tombamento é uma maneira atual de preservar o patrimônio, mas as pessoas podem usufruir desse espaço, interagir com esse patrimônio, sem comprometê-lo”, explica Romero.

O vereador disse ainda que manter a ciclovia é sinônimo de mais uma opção de transporte, além de poder preservar a simbologia ambiental e cultural.

A concentração, segundo vereador, será na Avenida Afonso Pena, esquina com a rua 13 de junho, em Campo Grande.  A previsão é de que o manifesto termine às 11h.

Tombamento - O Conselho Municipal da Cultura aprovou por unanimidade a proposta, depois de receber para análise o projeto da Planurb (Instituto Municipal de Planejamento Urbano) e da Fundac (Fundação Municipal de Cultura).

Segundo presidente do conselho, Ângelo Arruda, desde 2009 o MPE (Ministério Público Estadual) entrou com uma ação pedindo o tombamento, após entrar em discussão a possível implantação de corredores de ônibus na Avenida, que previam redução do canteiro. 

Em ação paralela, a Fundac também resolveu abrir um processo sobre o local, o que neste momento já não permitia qualquer alteração ou modificação da área. O que segundo Arruda, não aconteceu, já que a prefeitura de Campo Grande implementou a “ciclovia” no local, que de acordo com a a Fundac e MPE não eram permitidos. 

Ângelo também ressaltou que após o projeto ser homologado pelo prefeito, e publicado em diário oficial, a questão da ciclovia deve ser discutida junto à população e a possível implantação de corredores de ônibus, fica inviável. 

No último sábado (08), o prefeito Alcides Bernal (PP) afirmou  que irá homologar o “tombamento” do canteiro central e das árvores da Avenida Afonso Pena.

 

Prefeitura e TJ prorrogam renegociação de dívidas ajuizadas até 3ª
O programa de refinanciamento de dívidas da Prefeitura de Campo Grande foi prorrogado até o dia 19 de dezembro, a próxima terça-feira, no Centro de C...
Homem tem corpo queimado em acidente doméstico e morre na Santa Casa
Após dois dias internado, José Loureiro da Cruz, 49 anos, morreu por volta das 6h30 desta sexta-feira (15) na Santa Casa em decorrência de acidente d...


QUANTO MAIS CICLISTAS FAZENDO USO DA CICLOVIA PEDALANDO EM SUAS BICICLETAS, HOJE MUITAS FAMÍLIAS PEDALANDO JUNTO O QUE É UMA UNIÃO FAMILIAR, MENOS POLUIÇÃO DE CARROS QUE DEIXARÃO DE TRANSITAR NA ÁREA CENTRAL E QUE ISSO É QUE DEVERIA ESTAR SENDO DEBATIDO, POIS DAQUI A POUCO COM TANTO MONÓXIDO DE CARBONO LIBERADO NÃO VAI SOBRAR UMA ARVORE,E AI PERGUNTO AOS SENHORES DA LEI QUE PATRIMÔNIO VAMOS CUIDAR NO FUTURO, PENSEM QUANTO MAIS CICLOVIAS, MENOS CARRO MAIS CICLISTAS MAIS SAÚDE.TEM MUITO MAIS COISAS A SEREM BARRADAS DO QUE A CICLOVIA.SOU PM DE TRÂNSITO E HÁ MUITO TEMPO NÃO SE ATENDE ACIDENTES COM CICLISTAS NA AFONSO PENA,TEMOS QUE FAZER DISSO UMA CULTURA DE SUSTENTABILIDADE HOMEM E MEIO AMBIENTE.
 
Luiz Carlos Santos Messias em 11/06/2013 08:16:16
Tornar intocável uma avenida, ou o canteiro, penso que não seja uma medida prudente, considerando as necessidades de futuras adequações e ideias que venham a surgir nos próximos anos ou décadas.
Concordo com tombamentos de edificações históricas, esculturas, pinturas ou pedras fundamentais, podendo, quando possível e necessário, a mudança de local do objeto histórico.
Há casos em que se muda até casas.
 
Romeu Luitz em 10/06/2013 19:51:46
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions