ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, SEGUNDA  26    CAMPO GRANDE 29º

Capital

Cinto de segurança salva cinco pessoas em acidente na Bom Pastor

Antonio Marques e Michel Faustino | 03/06/2015 15:21
Veículo Fiat Siena envolvido em acidente na Rua Bom Pastor em que três pessoas ficaram feridas. (Foto: Fernando Antunes)
Veículo Fiat Siena envolvido em acidente na Rua Bom Pastor em que três pessoas ficaram feridas. (Foto: Fernando Antunes)

Mais cinco pessoas evitaram ferimentos graves no trânsito graças ao uso do cinto de segurança. O acidente aconteceu no início da tarde de hoje, dia 3, no cruzamento da Rua Bom Pastor com a Rua Coronel Porto Carrero, no Bairro Vilas Boas, envolvendo um Fiat Siena, de cor branca, e um Chevrolet Corsa Sedam, de cor preta.

O motorista do Siena, o mecânico Márcio José Cezário, 33 anos, disse que seguia pela rua Coronel Porto Carrero e ao chegar na Bom Pastor parou. Ao observar que o Corsa, que vinha na rua Bom Pastor (sentido bairro/centro), estava com a seta ligada para entrar na Rua Porto Carrero à direita. “Como vi a seta ligada decidi entrar na Bom Pastor e aconteceu a batida”, relatou.

Mas a cunhada do condutor do Corsa, Tatiane Rocha, 30 anos, assegurou que o rapaz estava correto, pois trafegava pela preferencial e seguiu quando o semáforo abriu. "Foi o outro motorista que invadiu a preferencial", afirmou. Ela apontou que o mecânico ainda ameaçou o seu cunhado.

Com o mecânico estavam a esposa, 30 anos, a filha de 5 anos e a sogra, 59, que seguiam ao Posto de Saúde do Tiradentes, local em que o Corpo de Bombeiros encaminhou as três com ferimentos leves, graças ao uso do cinto de segurança. A sogra de Márcio Cezário é a que mais reclamava de dores na região da bacia.

O mecânico disse que seu veículo foi arrastado cerca de 10 metros e quase tombou. Ele e o motorista do Corsa não tiveram ferimentos e permaneceram no local aguardando a chegada do Batalhão da Polícia de Trânsito. "Se não fosse o uso do cinto poderíamos estar com ferimentos graves, devido a pancada", comentou, acrescentando que, apesar de não ter seguro do carro, o que mais preocupava no momento era a condição de saúde dos familiares.

De acordo com a PNS (Pesquisa Nacional de Saúde) 2013, em parceria com o Ministério da Saúde, Fiocruz e IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), divulgada ontem, Mato Grosso do Sul é o segundo estado do Brasil em que os motoristas mais usam o cinto de segurança e o 10ª entre os dez estados brasileiros com maior proporção de acidentesno trânsito.

Nos siga no Google Notícias