A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

29/11/2015 08:47

Com 15 mortes, novembro já é o mês mais violento do ano na Capital

Luana Rodrigues
Mulher chora morte de homem morto no primeiro dia do ano, no Guanandi (Foto: Marcos Ermínio)Mulher chora morte de homem morto no primeiro dia do ano, no Guanandi (Foto: Marcos Ermínio)
Evaldo Guilherme Fragoso Soares, 30 anos, foi encontrado morto em uma estrada vicinal perto do presídio da Gameleira. (Foto: Marcos Ermínio)Evaldo Guilherme Fragoso Soares, 30 anos, foi encontrado morto em uma estrada vicinal perto do presídio da Gameleira. (Foto: Marcos Ermínio)

Somente no mês de novembro, foram registrados 15 homicídios em Campo Grande. A quantidade de mortes violentas é a maior se comparada aos dez meses anteriores do ano. Somente no primeiro dia do mês foram registrados três assassinatos na Capital. Essa conclusão é feita com base nos dados disponíveis pela Sejusp (Secretaria Estadual de Justiça e Segurança Pública), cujas estatísticas de crimes estão disponíveis desde 2011.

O recorde de casos também se dá se compararmos os dados desse ano, com três anos anteriores. Em 2012, foram registrados 12 casos de mortes violentas na Capital. Já no ano seguinte, foram nove homicídios e em 2014, o número de mortes registradas foi 14. Apenas no ano de 2011 o número de assassinatos em novembro foi mais alto que agora, na época foram 16 homicídios.

Casos - A primeira morte ocorreu logo no primeiro dia do mês, domingo. Gultierre Brites Lima, 18 anos, foi morto com pelo menos cinco tiros no Jardim Anache. O acusado de ter cometido o crime é o patrão dele, José da Costa, 42 anos.
No domingo à tarde, Lucas Lima Alvez, 21 anos, foi executado com cinco tiros na cabeça, por volta das 17h na Rua Juruá, Bairro Guanandi. Ele havia saído da prisão há seis meses por tráfico de drogas.

Também no domingo, nas primeiras horas do dia, Evaldo Guilherme Fragoso Soares, 30 anos, foi encontrado morto em uma estrada vicinal perto do presídio da Gameleira. Ele cumpria pena no semiaberto e executado com quatro tiros, após deixar o presídio para visitar a família.

No dia seguinte, segunda-feira(02), Diego de Oliveira, 21 anos, foi baleado com três tiros na boate Macalé e morreu na Santa Casa. A primeira informação era de que o rapaz teria praticado um assalto. No entanto, o registro policial diz que Diego de Oliveira foi retirado da casa, após ameaçar os seguranças, mas voltou com uma arma e atirou contra um deles, que revidou.

No mesmo dia, um homem foi encontrado morto com dois tiros nas costas e um na cabeça na MS-040, rodovia que liga Campo Grande a Santa Rita do Pardo. O corpo estava de bruços, o que leva a polícia a crer que o crime tenha ocorrido no local.

Esse foram apenas os primeiros crimes do mês. Já na madrugada de ontem( 26), Wesley Moraes de Lima, 18 anos, morreu após ser alvejado por cerca de quatro disparos de arma de fogo, por volta das 22h, na Rua Vasconcelos Fernandes, em frente da trailer do Carlinhos, perto da antiga estação rodoviária.

De acordo com o registro de ocorrência, o principal suspeito de ter cometido o crime é um homem que esteve na lanchonete onde a vítima trabalhava como ajudante.

Morto a pauladas e por asfixia, rapaz foi encontrado na linha de trem. (Foto: Gerson Walber)Morto a pauladas e por asfixia, rapaz foi encontrado na linha de trem. (Foto: Gerson Walber)


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions