ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SÁBADO  31    CAMPO GRANDE 19º

Capital

Com agravamento da pandemia, Cassems vai ativar 2º hospital de campanha

A situação é dramática e faz reforçar o apelo para que as pessoas fiquem em casa

Por Aline dos Santos | 22/03/2021 07:56
Nova estrutura terá capacidade para atender 40 pacientes em Campo Grande. (Foto: Divulgação/Cassems)
Nova estrutura terá capacidade para atender 40 pacientes em Campo Grande. (Foto: Divulgação/Cassems)

O agravamento da pandemia do coronavírus levou à abertura do segundo hospital de campanha na Cassems (Caixa de Assistência dos Servidores do Mato Grosso do Sul) em Campo Grande.

De acordo com o presidente da Cassems, Ricardo Ayache, a nova estrutura tem capacidade para 40 pacientes e vai ser ativada na quarta-feira (dia 24). Os novos leitos de internação são para enfrentar a alta dos casos de covid-19 na Capital. “A situação é dramática”, afirma Ayache.

Na semana passada, os seis hospitais particulares de Campo Grande divulgaram comunicado informando que chegaram ao limite da capacidade de internação. As unidades hospitalares alertam a população sobre o aumento do tempo de espera para atendimento e dificuldade na regulação de vagas em leitos de terapia intensiva e semi-intensiva.

Para tentar frear o contágio, a prefeitura de Campo Grande adotou, pela primeira vez na pandemia, a estratégia de antecipar feriados. De hoje até quinta-feira, a cidade fica em regime de feriado pela antecipação do  Dia de Santo Antônio (13 de junho) e aniversário da cidade (26 de agosto) dos anos de 2021 e 2022. O feriado na sexta-feira depende de decisão do governo do Estado.

A vacinação contra a coronavírus está em curso, mas ainda atinge baixa porcentagem da população. Desta forma, a orientação é usar máscara, distanciamento social e higienizar as mãos.

Mato Grosso do Sul registrou 202.168 casos confirmados desde março do ano passado, início da pandemia, sendo  81.351 em Campo Grande. Conforme boletim da SES (Secretaria Estadual de Saúde), divulgado ontem (dia 21), a doença matou 3.826 pessoas, com taxa de letalidade em 1,9%. Do total de óbitos, 1.444 foram de janeiro a 21 de março de 2021.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário