A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 16 de Setembro de 2019

26/08/2019 10:58

Com chipa, mosquitão e drag queens, nem tempo seco atrapalhou desfile

Desfile reuniu 15 mil pessoas na rua 13 de Maio, além de 54 entidades, escolas e órgãos públicos

Ângela Kempfer e Clayton Neves
Com chipa, mosquitão e drag queens, nem tempo seco atrapalhou desfile
Cidinha entregou chipas para autoridades no palanque. (Foto: Henrique Kawaminami)Cidinha entregou chipas para autoridades no palanque. (Foto: Henrique Kawaminami)

Entidades, escolas e órgãos públicos capricharam no desfile de 120 anos de Campo Grande. Na Rua 13 de Maio, entregaram chipas e levaram estruturas enormes para falar de cultura e conscientização. Por quase 3 horas, 54 grupos apresentaram o resultado de meses de preparação.

O desfile começou às 8h25, aberto pela Banda de Percussão Ulysses Guimarães. No palanque de autoridades, o prefeito Marquinhos Trad e o governador Reinaldo Azambuja comeram até chipa paraguaia, servida pela colônia que, animada, também dançou polca para o público.

Filha de paraguaios, Cidinha, de 60 anos, não gosta de dar o nome completo. Prefere se identificar como todo mundo a conhece na comunidade paraguaia. Hoje, ela levou as chipas para o desfile. “Temos sangue paraguaio, mas somos brasileiros. Por isso, é uma honra trazer nossa tradição para o desfile”, comemorou.

 

Pela primeira vez, grupo de drag queens desfilou no dia do aniversário da cidade. (Foto: Henrique Kawaminami)Pela primeira vez, grupo de drag queens desfilou no dia do aniversário da cidade. (Foto: Henrique Kawaminami)

Miss Angel, de 20 anos, entrou no grupo de 6 drags que apresentou pela primeira vez a arte das drags no desfile de 26 de agosto. “Viemos para mostrar que nós existimos. Para levar brilho e glamour para todos os ambientes”.

Para as drags, a oportunidade foi essencial na luta contra o preconceito.  “Campo Grande ainda é uma cidade conservadora e tradicional. Aparições como essa fazem com que as drags saiam dos guetos e de espaços de boates e ocupem outros espaços, tão marcantes como esse”

O evento reuniu cerca de 15 mil pessoas, plateia perfeita para valorizar a cultura, mas também conscientizar. Os servidores do Centro de Controle de Endemias, levaram um “mosquitão” Aedes aegypti, feito de ferro, como forma de mostrar que o risco da dengue é permanente em Campo Grande.

Mosquito de ferro lembra que o Aedes Aegipty é perigoso. (Foto: Henrique Kawaminami)Mosquito de ferro lembra que o Aedes Aegipty é perigoso. (Foto: Henrique Kawaminami)

A festa acontece na rua 13 de Maio, com pessoas espalhadas pelo trecho da Mato Grosso até a 15 de Novembro. A segurança foi feita por 60 policiais militares e a Defesa Civil montou força-tarefa com dez equipes, em parceria com a Cruz Vermelha. Mas não houve registros de incidentes. 

Para enfrentar o tempo seco, todo mundo levou, pelo menos, uma garrafinha d'água. Quem esqueceu, teve de gastar até R$ 5,00 nos ambulantes.

Como já é tradição, os ambulantes também salvaram muita gente da fome. Yara Faria, de 40 anos, tirou a barraca do Tiradentes e montou em calçada da Avenida Afonso Pena. “Hoje, preferimos vir para cá porque a gente achou que venderia mais”, contou sobre os salgados vendidos a R$ 3,00.

Quem fez do desfile o programa do feriado, teve de acordar cedido para achar espaço ao longo da 13 de Maio. A costureira Elizabeth Camargo Alves, 58 anos, acompanhou o evento ao lado do esposo e dos cinco netos, com idades de 6 a 11 anos. "Moramos nas Moreninhas e acordamos às 5 horas, Adoro assistir, principalmente ao desfile de fanfarras. A do Instituto Mirim é a que mais gosto”, diss Elizabeth

 

Fanfarras deram o tom do desfile cívico dos 120 anos da Capital. (Foto: Henrique Kawaminami)Fanfarras deram o tom do desfile cívico dos 120 anos da Capital. (Foto: Henrique Kawaminami)
Tradicionais, as escolas engrossaram a lista de 54 participantes. (Foto: Henrique Kawaminami)Tradicionais, as escolas engrossaram a lista de 54 participantes. (Foto: Henrique Kawaminami)
Grupo levou arranjos para lembrar de um dos símbolos da cidade, os ipês.Grupo levou arranjos para lembrar de um dos símbolos da cidade, os ipês.
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions