A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

19/04/2011 20:46

Com faixas de protesto familiares e amigos de Bruno fecham Rua 14 de Julho

Paula Maciulevicius e Ítalo Milhomem

Parentes do menino Paulinho e do universitário Rafael Mecchi também se uniram em manifesto contra a violência

Protesto no centro de Campo Grande reuniu várias famílias de vítimas de violência (Foto: Ítalo Milhomem)Protesto no centro de Campo Grande reuniu várias famílias de vítimas de violência (Foto: Ítalo Milhomem)
No manifesto, faixas pediam Justiça (Foto: Ítalo Milhomem)No manifesto, faixas pediam Justiça (Foto: Ítalo Milhomem)

Familiares e amigos do segurança Jefferson Bruno Escobar, o Brunão, morto há um mês durante o trabalho, na frente de uma casa noturna da avenida Afonso Pena, em Campo Grande, se uniram neste começo de noite em protesto contra a violência.

Além dos parentes de Brunão, estavam presentes também a família do universitário Rafael Mecchi, 22 anos, que já foi agredido na saída de uma festa em 2009, pelo jovem que matou o segurança, Christiano Luna de Almeida, de 23 anos e a mãe de Paulo Henrique Rodrigues, o "Paulinho", assassinado no dia 17 de fevereiro do ano passado durante um assalto no Jardim Tarumã.

Com faixas pedindo justiça, o protesto também contou com a participação de acadêmicos da UFMS, depois do caso de estupro de uma estudante dentro do campus.

O clima de indignação pode ser percebido nos dizeres que compunham as faixas. Sob gritos de justiça cerca de 70 pessoas aderiram à manifestação e fecharam o cruzamento da Avenida Afonso Pena e Rua 14 de Julho por 30 minutos. O pedido deles era para que os casos não caiam no esquecimento.

Apelos para que seja feita justiça nos casos e o discurso da mãe de Paulinho caracterizaram o protesto. Os participantes se ajoelharam e rezaram a oração do Pai Nosso.

Segundo a família do segurança todo dia 19 será feita a manifestação lembrando os casos de violência que tem acontecido na Capital nos últimos meses e para mostrar que parentes e amigos estão acompanhando o processo e a punição dos autores.

Manifesto marca 1 mês de morte do segurança Brunão
Amanhã fará um mês da morte do segurança Jefferson Bruno Escobar, o Brunão, morto durante o trabalho, na frente de uma casa noturna da avenida Afonso...
Maioria dos internautas apoia instalação de detectores de metal em escolaso
Dos 4.890 leitores, 80,02% disseram concordar com a medidaDiante da discussão a respeito da segurança nas escolas, a maioria dos internautas que res...


Senhor Albert, fizemos esta manifestação no cruzamento, pois são as ruas que mais tem movimento em campo grande. E esse horário foi estabelecido.. não para atrapalhar o trânsito, mas porque muitas pessoas que vão na manifestação trabalham e são liberadas só as 6! são apenas 30 minutos.. nada além disso..
fazer o contorno, acho qe n vai ser tão trabalhoso.
mas obrigada pelas palavras.

ETERNO BRUNÃO.
DIA 19 DE MAIO, ESTAREMOS LÁ DE NOVO, NÃO VAMOS DEIXAR A POEIRA BAIXAR!!!
 
Rayane Vieira Dias em 21/04/2011 10:52:03
Olha, também sinto pela morte do rapaz, quero muito que o 'agroboy' seja exemplarmente punido, dentro do rigor máximo da lei. Mas parar o trânsito no principal cruzamento da cidade, no horário de pico, e no mínimo uma insensatez. Não quero, de modo algum, tolher o direito da livre manifestação, pois a considero justa e legítima. Porém, devemos tomar certos cuidados para não ater os direitos dos transeuntes
 
albert foucault em 19/04/2011 11:21:51
Galera é isso mesmo dos os dias 19 de cada mês estaremos lá, a união faz a força. Justiça sim.
 
Elaine de Almeida em 19/04/2011 10:51:57
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions