A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

11/09/2015 18:55

Com greve, hospitais ficam sem local para estocar lixo contaminado

Adriano Fernandes e Alan Diógenes
A Santa Casa produz, por exemplo, 60 mil quilos de lixo hospitalar, por dia. (Foto:Gerson Welber)A Santa Casa produz, por exemplo, 60 mil quilos de lixo hospitalar, por dia. (Foto:Gerson Welber)

Por conta da paralisação dos serviços de coleta de lixo, os resíduos hospitalares produzidos diariamente, estão se acumulando em alguns hospitais de Campo Grande. Medidas paliativas estão sendo tomadas pelos próprios hospitais, até que seja resolvido o empasse entre prefeitura e Solurb, empresa responsável pela coleta de lixo na Capital. 

No Hospital Regional, uma empresa terceirizada foi acionada para fazer o serviço de coleta. Nesta sexta-feira (11), foi feita a primeira coleta dos materiais. O hospital não descarta a possibilidade de acionar novamente a coleta particular. Ainda de acordo com a assessoria de imprensa, o setor jurídico do hospital irá acionar judicialmente a empresa Solurb quanto à normalização dos serviços. 

A mesma medida também foi tomada pela administração do Hospital Unimed Campo Grande, que contratou uma empresa terceirizada para fazer a coleta e o descarte correto do lixo comum. O mesmo já era feito em relação aos resíduos infectantes produzidos na instituição.

Na Santa Casa de Campo Grande, os 60 mil quilos de lixo hospitalares produzidos por dia, são armazenados em contêineres. Um oficio foi encaminhado à prefeitura quanto a solução do problema. No entanto, não há previsão de normalidade dos serviços, seja por parte da prefeitura ou da Solurb.

A situação também preocupa os moradores. “A prefeitura ou a Santa Casa tem que tomar logo uma providência, caso a greve durar por muito tempo. Um hospital deste tamanho produz muito lixo e o acúmulo põe em risco a saúde dos pacientes”, se queixou a dona de casa Tânia Cristina, 26 anos.

Já o açougueiro Gueraldo Vega, 29,  acredita que o problema também é crítico em outras regiões da Capital. “Por onde eu passo vejo lixo acumulado e com essa chuva, ainda piora. Está uma bagunça”, completou o morador.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions