ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
ABRIL, QUARTA  17    CAMPO GRANDE 24º

Capital

Com investigação “travada” na burocracia, jogo do bicho corre solto na Capital

Reportagem percorreu alguns bairros e encontrou cinco pontos em que apostas são realizadas

Por Viviane Oliveira e Bruna Marques | 24/10/2023 13:00

Enquanto não se sabe com qual delegacia vai ficar a investigação para descobrir a quem pertencem as 700 máquinas destinadas à coleta de apostas do jogo do bicho, apreendidas numa casa do Bairro Monte Castelo, na semana passada, o jogo do bicho "corre solto" em Campo Grande. Na manhã desta terça-feira (24), a reportagem percorreu alguns bairros e encontrou cinco pontos em que as apostas são coletadas.

Com câmera escondida, o primeiro ponto visitado pela equipe do Campo Grande News foi em comércio no cruzamento das Avenidas Calógeras com a Salgado Filho, na Vila Carvalho. “Bom dia, você tem o resultado do bicho de ontem?” O dono do estabelecimento, então, pegou o dispositivo usado para imprimir e controlar a loteria ilegal, máquina semelhante a uma que passa cartões de débito e crédito, e imprimiu o resultado do jogo. O repórter pergunta se o jogo é feito de manhã e à tarde, o comerciante responde que sim.

Na Rua Rui Barbosa, entre a Rua Otaviano de Souza e a Avenida Eduardo Elias Zahran, foi encontrado outro ponto de venda da loteria ilegal. Idoso sentado em frente de uma mesa de bar, na calçada do estabelecimento comercial, responde que as apostas são feitas apenas com dinheiro. “Não aceito Pix”, disse. O ponto dele só funciona no período da manhã. Indagado se tem banca, o homem responde: “Não pode mais banquinha. Proibiram”, explicou.

Na Avenida Arquiteto Vilanova Artigas esquina com a Rua Iemanjá, no Bairro Aero Rancho, o mais populoso da Capital, ao ser indagada se tinha o resultado do jogo, a dona de um bar ainda manuseou a máquina para tirar o resultado do jogo, mas alertou que decidiu parar de coletar as apostas nesta segunda-feira, dia 23, uma semana após o flagra no Monte Castelod. “É muito perigoso!”, destacou.

Na redondeza, na Rua Rachel de Queiroz, as apostas são feitas em um hortifrúti. Porém, a dona do estabelecimento que fazia o jogo não estava no momento. “Não sei a senha”, disse o irmão da dona do comércio à equipe de reportagem.

Na mesma avenida, esquina com a Rua Cajazeira, sentada na mesa debaixo de guarda-sol, outra mulher, ao ser questionada se tinha o resultado do jogo do bicho, pediu para aguardar, olhou no celular e anotou o número sorteado no papel.

Operação - A maior ofensiva contra o jogo do bicho em Campo Grande nos últimos anos foi realizada numa das fases da Operação Omertá, por meio do Garras, que fez o atual flagrante, e o Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado), braço do MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul).

À época, em setembro de 2020, a força-tarefa destacou que o jogo do bicho, apesar da aparência de inofensivo e ser considerada uma contravenção penal, financia organizações que praticam outros crimes, da extorsão a assassinatos.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News.

Nos siga no Google Notícias