ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, SEXTA  23    CAMPO GRANDE 33º

Capital

Com licitação em andamento, portões do Parque Assaf Trad devem reabrir em 2022

Prefeitura de comprometeu com o Ministério Público a recuperar área fechada há quase 12 anos

Lucia Morel | 23/03/2021 18:15
Parque encerrou acesso ao público em dezembro de 2009. (Foto: Marcos Ermínio/Arquivo)
Parque encerrou acesso ao público em dezembro de 2009. (Foto: Marcos Ermínio/Arquivo)

Fechado há pelo menos 12 anos, o Parque Cônsul Assaf Trad pode voltar a receber a população em 2022. A Prefeitura de Campo Grande assumiu compromisso com o Ministério Público de recuperar o espaço e reabrí-lo num prazo de 10 meses após início de obras previstas em licitação, que ainda está em andamento.

Aberta em novembro do ano passado, concorrência - ainda em andamento - aceitou a proposta da empresa Orkan Construtora Eireli que deve receber R$ 1.108.800,01 pelo serviço. TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) assinado no último dia 4 de março entre MP e prefeitura ordena que em 120 dias após o encerramento do processo, a empresa escolhida deverá ter contrato efetivado.

Depois disso, a prefeitura terá 10 meses, a contar da data de início das obras para encerrar as intervenções e reabrir o local ao público, já recuperado. Entre as intervenções previstas, está cercamento do espaço interno do parque, com separação dele do Projeto Florestinha, da PMA (Polícia Militar Ambiental) e de área de preservação.

A área foi doada ao município pela Alphaville Empreendimentos e tentou-se que fosse adotada pelas lojas Havan ou Leroy Merlin para manutenção, mas nada vingou. Assim, a saída foi a prefeitura assumir o local, que está fechado desde 2012 por falta de condições em receber a população.

Além do cercamento, prevê-se ainda construção de campo de futebol, parque infantil, pista de bicicross, implantação de lixeiras e ainda revitalização de pergolados e entrada e dos estacionamentos, e também do teatro de arena.

Segundo TAC com o MP, o município se comprometeu a não construir ou fazer operar no local atividades “potencialmente poluidoras ou degradadoras”, bem como não utilizar o curso hídrico da área de preservação e nem fazer funcionar atividade industrial por lá.

Nos siga no Google Notícias