A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

05/07/2013 18:53

Com órgãos pegando no pé, grupo quer conselho para discutir eventos

Bruno Chaves
Criação do conselho foi discutida durante reunião na Casa de Leis (Foto: Divulgação)Criação do conselho foi discutida durante reunião na Casa de Leis (Foto: Divulgação)

A Abrasel-MS (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes) esteve hoje na Câmara de Vereadores para analisar as ações de segurança em bares, hotéis, restaurantes, casas noturnas, shows, eventos e similares em Campo Grande. Na próxima semana, a vereadora Luiza Ribeiro se comprometeu a propor a criação de um Conselho Municipal de Segurança em Eventos.

Para a vereadora, é necessário incluir representantes de diversas entidades para que a realização de grandes eventos na Capital seja discutida. “Ouvimos a prefeitura e percebemos que a liberação de eventos envolve apenas órgãos de fiscalização. Por isso vamos propor a criação do conselho para discutir com as empresas também”, disse.

Hoje, por exemplo, a prefeitura publicou decreto que reforça horário de funcionamento para bares, esclarecendo como será a fiscalização e diminuindo o prazo para renovação de alvarás. Quem não cumprir o decreto à risca, poderá perder o direito de abrir antes.

A atualização, segundo a prefeitura, foi realizada por uma Comissão instituída em 3 de maio passado, composta por representantes das secretarias: Semadur, Semre, Sesau, SAS; Ministério Público Estadual, Polícia Civil, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, OAB/MS, CREA/MS e CAU/MS.

Hoje, só os estabelecimentos com alvará especial podem atender entre às 23h e 6h. também foram publicados valores de penalidades. Como multa, quem desrespeitar a regra terá de pagar até R$ 1,6 mil. Também foi estabelecido número mínimo de seguranças.

Também será cobrada certidão da Polícia Militar e passa a ser obrigatória a colocação de placas informativas, em locais visíveis, com a capacidade máxima de lotação.

Nos grandes eventos também serão exigidos a contratação de serviços médicos, conforme a Resolução nº 143, da Secretaria Municipal de Saúde.

As medidas não agradaram e entidades, que já reclamavam do endurecimento nas normas cobradas, resolveram se unir para força na hora de conversar com a prefeitura. Deverão fazer parte desse conselho estão a Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Desenvolvimento Urbano), Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), Agetran, Guarda Municipal, Planurb, Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, Defesa Civil, Decon (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Contra a Relação de Consumo), OAB/MS, CREA, CAU, Ministério Público Estadual do Meio Ambiente e do Consumidor, Conselhos Tutelares, Abrasel, Sindicato dos Trabalhadores em Bares e empresas de segurança privada e dos empresários produtores de eventos.

“A ideia é criar um consenso sobre a regulamentação das atividades de shows e outros eventos em Campo Grande, garantindo o interesse de todos os que estão envolvidos na questão, como os empresários, os consumidores, a Prefeitura Municipal, o Corpo de Bombeiros, Polícia Civil, Ministério Público, entre outros”, comentou a vereadora.

As questões relativas à segurança em bares e casas noturnas ficaram em evidência depois da tragédia na cidade de Santa Maria (RS), quando um incêndio de grande proporção matou centenas de pessoas na Boate Kiss no dia 27 de janeiro deste ano. Depois desse episódio, estabelecimentos comerciais de todo o país abriram os olhos para a questão da segurança.

Em Campo Grande, uma audiência pública para discutir a segurança em casas noturnas foi realizada na Câmara Municipal no dia 1º de fevereiro. A reunião também foi proposta por Luiza. Para a vereadora, as ações que são tomadas agora refletem esse primeiro encontro.



eu, talves seja um dos que mais entenda da parte de documentaçao de shows e eventos em campo grande...sendo responsavel por este trabalho para os shows internacionais dj guetta fatboy, expogrande, rodeio 8 segundos, show luan santanta entre outros...80% dos grandes eventos em campo grande sou contratado... entao me colodo a disposiçao da vereadora maria luiza e abrasel ms, pois existem algumas rotinas na prefeitura que nos atrapalham e muito na emissao de licenças e documentos para eventos, ROTINAS ESTAS QUE PODEM SER FACILMENTE MUDADAS. para contato meu email miranda-marco@ig.com.br..
 
marco aurelio em 06/07/2013 09:16:26
Todas as leis que podrão prevenir dissabores em eventos estão postas no papel. O que falta é a fiscalização de todos os órgão envolvidos. Porém, no que se refere à crianças e adolescentes, existe um projeto de lei arquivado na câmara, apresentado pelo ex vereador Matozinhos, que poderia contribuir muito com eventos que tivessem os dois seguimentos como clientela participante. Trata-se da obrigatoriedade de contratação de uma empresa de segurança, especifica para a clientela de crianças e adolescentes e demais peculiaridades. Que tal desarquivar e dar uma olhadela?
 
Mauro Filho em 05/07/2013 19:27:49
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions