ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, QUINTA  22    CAMPO GRANDE 31º

Capital

Conclusão do Aquário do Pantanal vai custar mais R$ 67,3 milhões

O gasto final para obra que se arrasta há cinco anos chega a R$ 243 milhões

Aline dos Santos | 05/08/2016 12:19
Pichação  questiona quando obra chega ao fim. (Foto: Fernando Antunes)
Pichação questiona quando obra chega ao fim. (Foto: Fernando Antunes)

Protagonista de uma obra que se arrasta há cinco anos , o Aquário do Pantanal precisa de R$ 67.371.873,99 para ser concluído. O valor inclui a obra física e os peixes. De acordo com a Seinfra (Secretaria Estadual de Infraestrutura), a administração tem em caixa R$ 18.378.540,18. “Ou seja, o governo do Estado precisa alocar R$ 48.993.333,81 para concluir”, informa a assessoria de imprensa da secretaria.

Os R$ 18,3 milhões disponíveis faz parte do saldo de R$ 34.261.208,01 reservado à conclusão. A Lei 4.622, publicada em 26 de dezembro daquele ano, assinada pelo governador André Puccinelli (PMDB), previa que o valor das compensações ambientais do Imasul (Instituto de Meio Ambiente) fosse para obra. A diferença entre o montante deixado em caixa e o valor atual disponível bancou aditivos de contratos, como o de climatização.

A reportagem obteve o resumo de contratos do Aquário do Pantanal elaborado pela Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos) com valores até 31 de dezembro de 2014. O total contratado era de R$ 176.159.799,60. Desta forma, somados os R$ 67,3 para conclusão. O custo final ultrapassa R$ 243 milhões.

Atualmente, a obra, nos altos da avenida Afonso Pena, em Campo Grande, está paralisada. Já na versão do governo não está no ritmo ideal devido a dispor somente de saldo contratual e precisar de autorização da Justiça para injeção de mais dinheiro por meio de aditivo. A reportagem esteve no local na última terça-feira (dia 2) e não encontrou nenhum funcionário.

A pedra no caminho, segundo o governo, é que o contato original da construção já foi aditivado em 25%, limite definido pela Lei de Licitações. A Egelte Engenharia e a administração estadual pedem ao TJ/MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) autorização para uso de verba extra na obra.

De acordo com a Seinfra, além da Justiça, há diálogo entre a secretaria, a Semade (Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico) e o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) para encontrar solução.

Gastos até 2014 - Conforme o resumo de contratos do Aquário do Pantanal, com valores até 31 de dezembro de 2014, o total contratado era de R$ 176.159.799,60. O valor pago até aquela data era de R$ 140.573.486,82. Com saldo a pagar de R$ 35.586.312,78.

A obra do Centro de Pesquisa e de Reabilitação da Ictiofauna Pantaneira, nome oficial do Aquário do Pantanal, surgiu com o contrato 028/2011, firmado com a Egelte Engenharia e no valor de R$ 84.749.754,23. O contrato recebeu aditivo de R$ 21.090.324,81 em abril de 2014. A planilha também informa reajuste de R$ 17.180.859,81.

Aquário do Pantanal tinha custo de R$ 176,1 milhões até 2014. (Foto: Fernando Antunes)
Aquário do Pantanal tinha custo de R$ 176,1 milhões até 2014. (Foto: Fernando Antunes)

O segundo contrato foi o 023/2014, com a empresa Clima Teck Climatização Ltda. O valor inicial era de R$ 5.170.519,91, em seguida, teve aditivo de R$ 778.102,55. Totalizando 5.948.622,46. O terceiro contrato foi com a Stemac S/A Grupo Geradores, no valor de R$ 1.129.620,00 e registrado com o número 037/2014. O serviço era fornecimento e instalação de sistema de geração de energia.

A quarta contratação foi com a empresa Fluidra Brasil Indústria e Comércio Ltda. O contrato 057/2014 começou com valor de R$ 25.087.950,77 e teve aditivo de R$ 4.093.617,74. O total chegou a R$ 29.181.568,51 para serviços técnicos de suporte à vida e cenografia.

O quinto contrato, de número 099/2014, foi firmado com a Proteco Construções Ltda para reestruturação do estacionamento e vias de acesso ao Parque das Nações Indígenas, no valor de R$ 2.358.541,65. Outros R$ 14.520.508,13 foram para serviços complementares (supervisão, projeto, biblioteca digital e centro de pesquisa). A planilha é referente à obra fisca, sem citar contrato para manutenção dos peixes.

Troca - Em março de 2014, a construção do Aquário do Pantanal foi repassada em subempreita da Egelte para a Proteco Construções, empresa que desde o ano passado é investigada pela PF (Polícia Federal) e MPE (Ministério Público Estadual).

Com a divulgação das denúncias, o MPF (Ministério Público Federal) recomendou em 22 de julho de 2015 que a administração estadual, já na gestão de Reinaldo Azambuja (PSDB), suspendesse os contratos com a Proteco. A pedido da Egelte, a obra chegou a ser suspensa por decisão judicial, mas a empresa e o governo fizeram acordo. Com anúncio da retomada da obra em abril deste ano. 

Tabela de gastos do Aquário do Pantanal até dezembro de 2014. (Fonte: Agesul/MS Forte)
Tabela de gastos do Aquário do Pantanal até dezembro de 2014. (Fonte: Agesul/MS Forte)
Nos siga no Google Notícias