A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

16/02/2012 19:24

Em meio a congestionamento, carro onde estavam 4 crianças se envolve em acidente

Paula Maciulevicius

Os pequenos estavam muito assustados e choravam muito, tinham acabado de sair da escola agrícola da região

O traseira do C4 acabou, o bagageiro entrou para dentro de forma que o carro aparentava ser versão esportiva. (Foto: João Garrigó)O traseira do C4 acabou, o bagageiro entrou para dentro de forma que o carro aparentava ser versão esportiva. (Foto: João Garrigó)

O congestionamento por conta do acidente na BR-163, saída para São Paulo, envolvendo três veículos, onde um motorista morreu, causou outra batida no macro-anel, saída para Dourados na tarde desta quinta-feira.

Uma carreta sem reboque perdeu o controle da direção porque o motorista não viu que o trânsito estava parado e acabou atingindo um C4 Pallas, próximo ao acostamento, onde estavam sete ocupantes, quatro deles, crianças com idades de 5 a 9 anos. As vítimas não tiveram graves ferimentos, apenas leves escoriações.

Os pequenos estavam muito assustados e choravam muito, tinham acabado de sair da escola agrícola da região. Os adultos, Márcio Hiromita, 33 anos, Tieko Himorita, 70 e Kate Himorita, 30 anos, são da mesma família.

Márcio teve um ferimento nos olhos, um corte e estava com a testa inchada, a avó, dona Tieko reclamava de dores e a mãe, Kate também, principalmente nas costas devido o impacto da batida. Todos foram encaminhados para o UPA das Moreninhas.

O acidente aconteceu num intervalo de tempo de aproximadamente 1h em relação a batida da saída para São Paulo. A fila do engarrafamento chegou ao macro-anel, também na 163, deixando todo o trajeto lento.

O traseira do C4 acabou, o bagageiro entrou para dentro de uma forma que de longe o carro aparentava ser versão esportiva e não um Pallas.

O acidente aconteceu num intervalo de aproximadamente 1h em relação a batida da saída para São Paulo. (Foto: João Garrigó)O acidente aconteceu num intervalo de aproximadamente 1h em relação a batida da saída para São Paulo. (Foto: João Garrigó)

O motorista da carreta, Juvenal Felipe, 54 anos, explicou que no momento do acidente chovia na região. Ele seguia direção a Dourados.

“Tem que ligar o alerta, se está na fila, tem que ligar. Tinha uma carreta na frente, abriu para a esquerda e eu já segurei. Joguei aqui, mas pegou o carro. Eu não vou mentir não, estava a uns 80 por hora. Deus ajude que não seja nada grave”, respondeu. Juvenal dirige há 30 anos.

No momento de atendimento dos bombeiros, as crianças choravam muito. “Mãe o motorista morreu?” perguntou um dos meninos de 9 anos.

O outro só perguntava pela avó. “Mãe, cadê a avó, ela está machucada, cadê? Cadê?”, questiona.

O local é ponto de encontro de pais que vão até lá pegar os filhos que vem de ônibus da escola agrícola. A professora Cida Barros, 44 anos, pede para que o trecho seja mais policiado.

“Aqui tem acidente todo dia. Essa BR é muito perigosa, as carretas não respeitam e ultrapassam mesmo. Precisaria de mais polícia, um redutor de velocidade”, comenta.



Se tivesse carregado... ia varrer todo munodo. vixe...
 
Milton Junior em 17/02/2012 10:12:23
Segundo o carreteiro, a culpa foi do pisca alerta que não estava ligado. Se ele não diminuiu a velocidade por causa de uma fila quilométrica, imagine se ele diminuiria por causa de um pisca-alerta ligado. Os carreteiros NUNCA ERRAM...
 
Adriano Roberto dos Santos em 16/02/2012 08:32:57
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions