ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, QUINTA  22    CAMPO GRANDE 22º

Capital

Conselheiros tutelares cobram avanço na instalação de mais 3 prédios

Conselhos deverão ser ampliados de 5 para 8, mas Executivo demora a fazer os trâmites necessários para isso

Por Cassia Modena e Caroline Maldonado | 30/11/2023 11:45
Grupo de conselheiros eleitos, na Câmara Municipal (Foto: Caroline Maldonado)
Grupo de conselheiros eleitos, na Câmara Municipal (Foto: Caroline Maldonado)

Pessoas eleitas este ano para assumir os Conselhos Tutelares de Campo Grande estiveram na Câmara Municipal nesta manhã (30), para cobrar que a prefeitura garanta que todas terão onde trabalhar a partir de 2024.

É que a Capital continua tendo cinco prédios de Conselho Tutelar atualmente, enquanto o Executivo foi obrigado pela Justiça a criar pelo menos mais três, para atender a demanda da população. Maior número de conselheiros foi eleito justamente para ocupar os novos postos a serem criados no ano que vem. A decisão veio após menina campo-grandense de dois anos morrer vítima de sequência de violências e omissões, e o caso repercutir nacionalmente.

O CMDA (Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente) chegou a oficializar a criação das novas unidades no fim de outubro deste ano, mas a prefeitura ainda não garantiu as novas instalações e nem enviou projeto de lei para que os vereadores autorizem a implantação.

A posse de todos os conselhos está marcada para 10 de janeiro. Falta pouco mais de um mês. A demora da Prefeitura em fazer sua parte para que isso aconteça preocupa Marcelo Marques. Ele foi reeleito e vai cumprir o quarto mandato de conselheiro tutelar.

"Estamos fazendo curso de capacitação para assumir o cargo e ficamos sabendo que não tem nem o projeto ainda para criar esses três novos conselhos. Não tem como dar posse aos 40 conselheiros titulares sem a criação deles. Precisamos que a prefeita mande o projeto com urgência à Câmara", falou Marcelo.

Foi à Câmara também o presidente da Associação Estadual de Conselheiros Tutelares, Adriano Vargas. Ele disse que a conversa com os vereadores foi uma tentativa de sensibilização para a importância de garantir estrutura para a defesa dos direitos das crianças e adolescentes de Campo Grande.

"A política pública precisa visar atendimento ágil e que não haja demanda reprimida, que a pessoa não tenha que atravessar a cidade com a criança para ter atendimento", pontuou Vargas.

Durante a sessão - Alguns vereadores puxaram a discussão durante a sessão. Em crítica à prefeita Adriane Lopes (PP), a vereadora Luiza Ribeiro (PT) disse que "não adianta falar que defende a família, se não toma providência para proteger a família".

Já o vereador Epaminondas Vicente Silva Neto, o "Papy" (Solidariedade), lembrou que a criação dos novos Conselhos Tutelares já está prevista na Lei de Diretrizes Orçamentárias da Prefeitura, aprovada nesta semana pelos vereadores. Falta dar andamento aos demais trâmites.

O líder da prefeita na Câmara, Alberto Avelar, o "Beto" Avelar (PSD), disse que tem uma reunião com o secretário municipal de Governo e Relações Institucionais, João Rocha, para discutir a situação amanhã (1º). "Tomei conhecimento disso agora. Temos que discutir, pois é uma construção esse projeto de criação", pontuou.

A reportagem questionou a assessoria de imprensa da prefeitura sobre a previsão para o envio do projeto à Câmara. Não houve retorno até a publicação desta matéria.

Aviso de locação - A Prefeitura de Campo Grande publicou no Diário Oficial do Município desta quinta-feira (30) quatro avisos de procura de imóveis para o funcionamento de unidades do Conselho Tutelar. Três delas não existiam antes e serão instaladas pela primeira vez nas regiões Prosa, Imbirussu e Anhanduizinho/Bandeira.

Um outro imóvel é procurado na região central para abrigar Conselho Tutelar já existente. Segundo informou a assessoria de imprensa da SAS (Secretaria Municipal de Assistência Social), pasta responsável pelos Conselhos Tutelares, há interesse na mudança do local atual por outro que tenha acessibilidade para receber a população.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News.

Nos siga no Google Notícias