ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
ABRIL, DOMINGO  21    CAMPO GRANDE 24º

Cidades

Distribuição dos conselhos faz pais percorrerem longas distâncias

Morador do Noroeste precisa percorrer cerca de 14 km para ir ao Conselho Tutelar

Maristela Brunetto | 18/02/2023 08:45
Para chegar ao conselho que atende o Noroeste, pais passam ao lado do conselho Leste.
Para chegar ao conselho que atende o Noroeste, pais passam ao lado do conselho Leste.

Se hoje em dia os conselhos tutelares de Campo Grande já não enfrentam mais a falta de papel e combustível para atender as demandas, embora veículos sejam insuficientes ou mesmo as famílias sejam atendidas em sede com móveis por vezes precários, um desafio ainda não contornado é o de aperfeiçoar a área de atuação de cada unidade para não impor ao público uma verdadeira viagem para buscar a ajuda. Para se ter uma ideia, um morador do Jardim Noroeste, na saída para Três Lagoas, precisa ir até o Monte Castelo, região da Mascarenhas de Moraes, percorrendo cerca de 14 quilômetros, sendo que na mesma área, no Jardim São Lourenço, encontra-se o conselho Leste, a cerca de 5 quilômetros.

Também é uma jornada para familiares que buscam ajuda a partir do Indubrasil, percorrendo 19 quilômetros para chegar no conselho do Centro, enquanto o da região do Lagoa, perto da Rua Bandeirantes, fica a 15 quilômetros.

A cidade é distribuída em cinco áreas para os atendimentos. O primeiro conselho criado, o Sul, fica no Aero Rancho. Ele compreende a maior área de atendimento, que são bairros na região da unidade até a saída de São Paulo, à direita da BR-163, incluindo uma região com muitas demandas, como os novos conjuntos e ocupações que foram criados perto do anel viário, atrás de bairros como o Canguru.

Com essa expansão, surgiram muitas demandas não atendidas plenamente, o que gera um serviço extra aos conselheiros. Dos 40 mil atendimentos feitos ao longo de três anos em Campo Grande, 20 mil ficaram com este conselho.

O presidente da Associação de Conselheiros Tutelares do Mato Grosso do Sul, Adriano Vargas, que atua no Conselho Sul, viu-se numa posição recorde mas desconfortável, o de conselheiro tutelar que mais registrou procedimentos, com base no sistema unificado utilizado em todo o País. Tanta demanda, aponta, é indicativo de falta de acesso aos serviços previstos em lei.

O Norte veio na sequência, instalado no Monte Castelo. Atende bairros da saída para Cuiabá, como Nova Lima, alguns rumo à UCDB, Rochedinho e até o Noroeste, como mencionado no início da reportagem.

O Conselho Centro atende o público no Monte Líbano, região nobre da cidade, recebe famílias dos distritos de Indubrasil e Aguão, inclui uma série de bairros, como Cabreúva e parte do Cruzeiro e Coronel Antonino.

Os conselhos do Bandeira e Lagoa foram criados a partir de 2018, quando já havia ação na Justiça, proposta pelo Ministério Público, reivindicando a criação de mais três conselhos. O do Bandeira foi instalado no Jardim São Lourenço, vizinho ao Tiradentes. Ele atende moradores de bairros distantes, como Itamaracá, Moreninhas e até o distrito de Anhanduí.

O último instalado, Lagoa, na Rua Alexander Fleming, atende bairros da região da Bandeirantes, saída para Sidrolândia, à direita da rodovia, como São Conrado, e também região do Aeroporto.

Além de redistribuição e criação de novas unidades, para atender a resolução do Conanda (Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente), que preconiza um conselho para cada grupo de cem mil habitantes, Braga defende que outra ação que teria grande impacto seria a capacitação de conselheiros.

Os conselhos tutelares são compostos por pessoas eleitas pela comunidade a cada quatro anos, com pleito realizado no ano seguinte à eleição presidencial, isso significa que neste ano haverá eleição, em outubro. Os candidatos devem ter formação superior para disputar o voto, mas antes fazer um curso e apresentar desempenho em prova. Como o Estatuto da Criança e do Adolescente não especifica a profissão dos conselheiros, muitos podem até apresentar vocação, mas não dominam as tarefas e o funcionamento dos serviços públicos, daí a necessidade de capacitação.

Os conselhos mantêm expediente durante o dia, com intervalo no almoço; nos finais de semana e à noite o atendimento é por plantão.

Campo Grande News - Conteúdo de Verdade


Nos siga no Google Notícias