ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
ABRIL, SEXTA  19    CAMPO GRANDE 29º

Capital

Corregedoria de Justiça irá acompanhar caso da morte de menina de 2 anos

Corregedoria pediu informações às Varas de Infância e da Família sobre morte que causou comoção nacional

Silvia Frias | 12/02/2023 12:37
Stephania e Christian, mãe e padrasto da menina, foram denunciados por homicídio triplamente qualificado. (Foto/Reprodução)
Stephania e Christian, mãe e padrasto da menina, foram denunciados por homicídio triplamente qualificado. (Foto/Reprodução)

A Corregedoria Nacional de Justiça instaurou pedido de providências para acompanhar as investigações do caso da menina de 2 anos e 7 meses, que morreu no dia 26 de janeiro, agredida e estuprada em Campo Grande. A mãe e o padrasto foram denunciados pelo crime que causou revolta e comoção nacional.

Segundo nota divulgada pelo CNJ (Conselho Nacional de Justiça), o ofício foi assinado pelo corregedor nacional, ministro Luis Felipe Salomão, que solicitou informações às 10ª e 11ª Varas dos Juizados Especiais, onde tramitam processos de maus-tratos contra a criança, e à Vara de Família. As informações devem ser enviadas pelo TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) em prazo de cinco dias.

A morte gerou uma série de críticas aos serviços da rede de proteção às crianças, com reunião cercada de cobranças e promessas de agentes públicos de que a atenção será aperfeiçoada.

Titular da DEPCA, Anne Karine falou sobre as investigações sobre o caso, em coletiva no dia 6. (Foto/Arquivo)
Titular da DEPCA, Anne Karine falou sobre as investigações sobre o caso, em coletiva no dia 6. (Foto/Arquivo)

Entre os fatos que chamam atenção, está o do boletim de ocorrência registrado por Jean Carlos Ocampos, pai da menina, relatando suspeita de agressão e que ficou um mês praticamente parado na 11ª Vara do Juizado de Campo Grande, até que fosse encaminhado à promotoria responsável avaliar.

Presos - Stephanie de Jesus da Silva, 24 anos, e Christian Campoçano Leitheim, 25, mãe e padrasto da criança foram denunciados por homicídio qualificado por motivo fútil, pela condição do sexo feminino e pela vítima ser menor de 14 anos. No caso da jovem, mãe da criança, ainda foi imputada a omissão de socorro.

A criança morava com a mãe, padrasto e outros dois irmãos (um deles filho de Christian com a primeira esposa), na Vila Nasser. A reportagem apurou que as crianças ficavam sob os cuidados de Christian enquanto a mãe trabalhava.

Na noite de quinta-feira, Stephanie chegou ao posto de saúde com a filha já sem vida. Foi então que as médicas evidenciaram lesões pelo corpo, inclusive nas partes íntimas da criança. Também perceberam que ela estaria morta havia cerca de quatro horas.

Stephanie alegou que a menina estava passando mal desde o dia anterior, com dores na barriga, e que o padrasto batia como correção. Na data da morte, os dois afirmaram que a criança não foi agredida. Eles foram presos em flagrante.

Pai da menina registrou boletim de ocorrência relatando possíveis maus-tratos. (Foto/Arquivo)
Pai da menina registrou boletim de ocorrência relatando possíveis maus-tratos. (Foto/Arquivo)


Nos siga no Google Notícias