A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

22/01/2013 11:17

Defensoria notifica universidade a contratar intérprete para aluna

Francisco Júnior
Irene ficou indignada ao ser informada que universidade não disponibilizaria intérprete para a filha. (Foto: Simão Nogueira)Irene ficou indignada ao ser informada que universidade não disponibilizaria intérprete para a filha. (Foto: Simão Nogueira)

A Defensoria Pública de Mato Grosso do Sul informou, por meio da assessoria de imprensa, que está acompanhando o caso da estudante Tábata Larissa Rodrigues Lopes, 20 anos. Ela, que é surda, está matriculada no curso de Biologia da UCDB (Universidade Católica Dom Bosco), porém a universidade se nega a contratar uma intérprete.

Conforme a assessoria de imprensa, na semana passada quando foi procurada pela família da estudante, a Defensoria encaminhou um ofício para a instituição de ensino comunicando que teria que providenciar uma intérprete para a acadêmica.

No dia da matrícula, ao informar sobre a deficiência da filha, Iraene Rodrigues Nogueira, 45 anos, ficou surpresa com a resposta. “A universidade disse que eu teria que contratar uma intérprete de acordo com a necessidade dela ou acompanhá-la nas aulas”.

De acordo com o MEC (Ministério da Educação) o artigo 14 do decreto 5.626, de 2005, que regulamenta a Lei de Libras, instituições de ensino superior particular "buscarão implementar as medidas". Medidas para "assegurar atendimento educacional especializado aos alunos surdos ou com deficiência auditiva".

A Defensoria ainda não recebeu uma resposta da universidade, que tem 10 dias para responder o ofício com seu posicionamento com relação a contratação da interprete.

Iraene também comunicou o caso ao MPE (Ministério Público Estadual).

Águas Guariroba continua com campanha de renegociação de dívidas
Vai até o dia 29 deste mês a campanha "Fique em Dia", realizada pela Águas Guariroba para renegociar as dívidas que os consumidores têm com a empresa...
Prefeitura e TJ prorrogam renegociação de dívidas ajuizadas até 3ª
O programa de refinanciamento de dívidas da Prefeitura de Campo Grande foi prorrogado até o dia 19 de dezembro, a próxima terça-feira, no Centro de C...


parabéns mãe pela sua coragem, vamos fala verdade o BRASIL tem que ver a nossa constituição, por que assim fica complicado por q não respeita as leis do nosso pais...
 
dejalma goulart em 22/01/2013 19:15:35
Uma vitória dessas não podemos deixar de comemorar...UHUUUU PAIS LUTANDO PELO DIREITO DE SEUS FILHOS SURDOS!!! E o melhor de tudo amparados por lei!!!
 
Juliana Chendes em 22/01/2013 17:44:12
Olá, meu nome é Brendha, sou intérprete na Rede Estadual e com essa notícia eu só lamento, pois uma universidade como a UCDB, com a estrutura que tem não disponibilizar um intérprete para uma aluna surda é alarmante, pois a mesma é portadora de todos os direitos de uma aluna qualquer e como surda necessita de todo apoio desconsiderando o fato de ser uma universidade particular. Muita ignorância da parte pedagógica não viabilizar um meio de aprendizagem, pois é uma pessoa que pagará pelos seus estudos e uma universidade onde se há uma doutrina religiosa não entender essa necessidade especial da aluna, é de se pensar se estão lá realmente com o intuito de transmitir o conhecimento ou só acumular mais dinheiro, por fim posto minha indignação e afirmo, falta empatia da parte da administração.
 
Brendha Komiyama em 22/01/2013 17:25:19
Acho que houve algum mal entendido, acabei de concluir Direito na Católica, e na minha sala tive a honra de estudar com duas pessoas com deficiência visual e desde o inicio do curso eles tiveram o atendimento especial de uma ledora que os acompanhou durante todo o curso. Nunca tive noticia de que a faculdade tenha causado obstáculos para eles.
 
HELITON BARÃO SILVA em 22/01/2013 15:06:11
Que belo exemplo UCDB! Uma Universidade que se apega aos princípios cristãos? Virar as costas para a realidade cada vez maior da inclusão de nossos alunos com necessidades especiais nas escolas públicas e porque não nas Universidades também? Mas como já foi dito e bem dito cobrar sabe e com vontade!
 
Anna Gonçalves em 22/01/2013 14:51:06
Pare! Com a falta de respeito com o aluno surdo. Para cobrar as mensalidades dos alunos é bom agora que tem que cumprir com o dever da inclusão social, fala que "terá que contratar uma intérprete de acordo com a necessidade dela ou acompanhá-la nas aulas”, que situação hem.....
 
claudinei Gonzaga' em 22/01/2013 13:27:13
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions