A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

02/08/2016 18:22

Delegado vai ouvir todos os colegas de funcionária que maltratou crianças

Denúncia chegou à DEPCA na semana passada, depois que vídeo foi divulgado

Anahi Zurutuza
Vídeo gravado em maio mostra funcionária gritando e pegando crianças bruscamente, enquanto elas dormiam (Foto: Reprodução)Vídeo gravado em maio mostra funcionária gritando e pegando crianças bruscamente, enquanto elas dormiam (Foto: Reprodução)

O delegado Paulo Sérgio Lauretto recebeu no fim da semana passada denúncia contra funcionária de Ceinf (Centro de Educação Infantil) de Campo Grande que foi gravada maltratando crianças. O próprio titular da DEPCA (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente) vai investigar o caso. Ele garante que vai chamar para depor todas as pessoas que trabalharam na creche durante os dois anos que a recreadora esteve lá e claro, a mulher alvo da acusação feita por uma colega. 

As convocações começarão a ser feitas nos próximos dias. “Recebi na quinta-feira e mandei para o cartório, que vai providenciar a intimações”, explicou Lauretto.

Segundo o delegado, com frequência, a DEPCA recebe denúncias de pais contra funcionários de creches municipais – na maior parte dos casos, são situações de negligência. “São questões que volta e meia estão chegando. São casos, por exemplo, de crianças que se machucam, até de forma acidental, mas o pai entende que foi por negligência ou que o encaminhamento dado à criança não foi correto. A gente investiga e dependendo do caso, encaminha para o Judiciário”, detalha.

O caso – Em maio deste ano, a educadora Iara Freiras, denunciou uma colega de trabalho que agrediu crianças no Ceinf Maria Cristina Ocáriz de Barros, no Jardim Tijuca 2 – na região sudoeste de Campo Grande. Iara afirma que observou a outra funcionária por ao menos um mês e que, depois da denúncia, ela sofreu perseguição da chefia da unidade.

A denunciante trabalhava no Ceinf do Tijuca desde fevereiro e foi demitida no mês passado. Em maio, ela filmou e repassou gravação para uma amiga, diretora em outra creche e autora da denúncia feita à Semed (Secretaria Municipal de Educação), que resultou na demissão da agressora.

Na semana passada, em nota, a prefeitura afirmou que Iara foi demitida pois era contratada por meio do convênio com a Seleta, entidade com que o município tem convênio, mas foi obrigada pela Justiça a acabar com todos os contratos terceirizados até janeiro do próximo ano.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions