A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 21 de Setembro de 2018

01/11/2017 10:51

Depois de "pane", sistema de videomonitoramento volta a funcionar

Mirian Machado
Câmeras de monitoramento funcionam 24 horas na região central (Foto: Marcos Ermínio)Câmeras de monitoramento funcionam 24 horas na região central (Foto: Marcos Ermínio)

Das 22 câmeras de vídeo monitoramento instaladas na região central de Campo Grande apenas duas ficaram funcionando por um mês. Sem manutenção há dois anos, duas fibras dos 11km de malha estavam rompidas. Foram R$ 8 mil para reativar as câmeras que voltaram a funcionar há uma semana.

O secretário de segurança pública, Valério Azambuja afirmou que a mesma empresa que fez a implantação do sistema em 2015 foi chamada em caráter emergencial para o serviço de manutenção que foi realizado em duas semanas e recuperou 100% do sistema. “Pretendemos fazer uma licitação no próximo mês para um contrato de cinco anos para a manutenção do sistema”.

As câmeras direcionadas à região central servem para inibir e prevenir possíveis crimes. São oito guardas civis que trabalham 24horas, incluindo um agente de trânsito, que pode aplicar multa de dentro da central caso seja flagrado alguma infração e um agente da defesa civil que mede a intensidade da chuva e acompanha os ventos que saem do oceano.

Oito guardas civis incluindo agente de trânsito e defesa civil trabalham na central (Foto: Marcos Ermínio)Oito guardas civis incluindo agente de trânsito e defesa civil trabalham na central (Foto: Marcos Ermínio)

Quando as câmeras registram um delito a central imediatamente aciona uma equipe da Guarda Civil que está mais próxima do local e o tempo de resposta é de cerca de cinco minutos.

O secretário de segurança ainda informou que há duas novidades. Uma delas é a instalação de 9 câmeras nas Upas, que servirá para acompanhar e registrar casos de agressões e brigas para acionar as equipes próximas. E a outra é que a Guarda Civil terá acesso ao sigo (Sistema Integrado de Gestão Operacional). “Em fevereiro conversamos com a Sejusp [Secretaria de estado de segurança pública] para que pudéssemos ter acesso ao sistema o que facilitaria, porque por exemplo, quando a equipe da guarda aborda uma pessoa ela tem que acionar a Polícia Militar ou a Polícia Civil para que seja feita a checagem do suspeito. Então eles [Sejusp] viram a necessidade e disponibilizaram 10 senhas. Na semana que vem começaremos a treinar os guardas”, explicou Valério Azambuja.

Em junho a Secretaria também fechou parceria com o ministério da justiça para utilizar o sistema Infoseg (Rede Nacional de Integração de Informações de Segurança Pública, Justiça e Fiscalização), um sistema nacional que pega todos os dados da pessoa com acesso ao Detran e Receita, por exemplo.

“Tudo é integrado para conseguir informações em prol da segurança pública. Não queremos que a população tenha a sensação de segurança e sim a própria segurança. A grande questão hoje é investir em tecnologia, assim o trabalho é efetivado. Ganho para a população, para o Governo e para a Prefeitura”, concluiu.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions