ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, SEGUNDA  27    CAMPO GRANDE 19º

Capital

Desaparecido há duas semanas, funileiro foi morto por dois funcionários

O corpo de Adimilson Estácio foi encontrado na noite desta quinta-feira, em Rochedo

Por Marta Ferreira | 17/04/2020 09:07
Adimilson Estácio desapareceu no dia primeiro de abril depois de sair para trabalhar. (Foto: Álbum de família)
Adimilson Estácio desapareceu no dia primeiro de abril depois de sair para trabalhar. (Foto: Álbum de família)

Desaparecido desde o dia primeiro de abril, quando saiu para trabalhar, o funileiro Adimilson Estácio, 44 anos, foi assassinado por dois homens que trabalhavam para ele na oficina mecânica da vítima, no Bairro Pioneiros, em Campo Grande.  Adimilson foi duas vezes vítima das pessoas a quem garantia serviço: primeiro furtaram o cartão do banco dele e depois o mataram quando descobriu, segundo apurou o Campo Grande News.

Um deles chegou a fazer postagens pedindo ajuda para encontrar o patrão.

O corpo de Adilson foi localizado ontem à noite, enterrado numa área próxima a córrego do município de Rochedo, a 74 quilômetros da Capital. Os assassinos, segundo a reportagem constatou, desovaram o cadáver no lugar e ainda jogaram a moto da vítima no leito do manancial. O veículo ainda vai ser procurado.

O caso está a cargo da DEH (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Homicídios), onde familiares de Adimilson chegaram a fazer protesto cobrando resultados das investigações.

Cartão furtado - Ainda não foram divulgados detalhes de como tudo aconteceu nem identificação dos criminosos. A reportagem apurou que os homens estão presos e confessaram o crime.

Tudo teria acontecido depois de Adimilson descobrir que um cartão de banco havia sido furtado e compras estavam sendo feitas com ele. O valor gasto chegaria a R$ 1,6 mil.

Responsáveis pelo furto, conforme apurado, os funcionários ouviram o patrão dizer que iria registrar boletim de ocorrência e decidiram por assiná-lo antes disso.

As informações obtidas indicam que foi morto na oficina mecânica, com uma pancada na cabeça, e ainda asfixiado, e depois o corpo foi levado para o local onde foi encontrado.

Para desenterrar o cadáver, a Polícia Civil teve o apoio dos bombeiros. Os responsáveis serão indiciados por homicídio qualificado.




Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário