ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, SEGUNDA  03    CAMPO GRANDE 21º

Capital

Dez empresas disputam contrato milionário para asfaltar Nova Campo Grande

A habilitação das empreiteiras para participar da licitação foi publicada no Diário Oficial desta terça-feira (14)

Por Anahi Zurutuza | 14/07/2020 16:17
Uma das avenidas do Nova Campo Grande em dia chuvoso (Foto: PMCG/Divulgação)
Uma das avenidas do Nova Campo Grande em dia chuvoso (Foto: PMCG/Divulgação)

Dez empresas estão na disputa por contrato milionário com a prefeitura da Capital para asfaltar o Bairro Nova Campo Grande. A habilitação das empreiteiras para participar da licitação foi publicada no Diário Oficial desta terça-feira (14).

As construtoras concorrem a contrato para executar obras de drenagem, pavimentação e recapeamento orçadas inicialmente em R$ 52.596.667,41 em recursos do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) 2. Os serviços, porém, devem sair mais baratos para os cofres municipais, já que a concorrência é do tipo “menor preço”.

O Nova Campo Grande fica no oeste da cidade e tem cerca de 20 mil habitantes. Em maio, quando a licitação foi lançada, o secretário municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos, Rudi Fioresi, explicou que o projeto de infraestrutura é complexo, tem um alto custo, em função das características de solo da região, onde o lençol freático é muito aflorado. “Será preciso recorrer a algumas soluções de drenagem de alto custo, dreno profundo, implantação de colchões drenantes”.

As duas vias que atravessam o bairro, a 2 e a 7, serão recapeadas e duplicadas, segundo a  prefeitura. São 20 km de pavimentação, 9 km de recapeamento e 16 km de drenagem. O projeto prevê ainda a construção de uma ponte de concreto de 20 metros sobre o Córrego Imbirussu.

Estão na disputa a Anfer Construções e Comércio Ltda., Caravaggio Construtora Ltda., Construtora Artec, Construtora Industrial São Luiz, Construtora Tripolio, Contersolo Construtora de Obras Eireli, Engepar Engenharia e Participações, Equipe Engenharia, Teccon Construção e Pavimentação e a Vale do Rio Novo Engenharia e Construções.

A RCC Construções foi inabilitada e a NG Engenharia e Construções Ltda. desistiu do certame.