A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

20/01/2013 10:38

Discussão em festa pode ter motivado assassinato no Nova Lima, dizem testemunhas

Gabriel Neris e Luciana Brazil
Veículo quebrou parede de casa no bairro Nova Lima, em Campo Grande (Foto: Rodrigo Pazinato)Veículo quebrou parede de casa no bairro Nova Lima, em Campo Grande (Foto: Rodrigo Pazinato)

Uma discussão em festa pode ter sido o motivo do assassinato de Eduardo Batista Mendes Filho, de 36 anos, no bairro Nova Lima, em Campo Grande, na madrugada deste domingo (20). Testemunhas que têm medo de se identificar disseram que o rapaz bateu boca com outro homem por causa da acompanhante.

O rapaz teria saído da residência onde acontecia a festa e atirado contra a vítima. As testemunhas dizem ainda que após atirar contra Eduardo, o rapaz teria retornado a festa e feito outros disparos. O atirador também aproveitou para se esconder na casa onde acontecia a festa quando a Polícia chegou ao local.

Eduardo foi encontrado morto com dois tiros, um nas costas e outro na cabeça, no cruzamento das ruas Filomena Cáceres com Julio Baís. O corpo do rapaz estava dentro de um veículo Corsa, de cor branca, que só parou ao bater na parede lateral de uma casa.

Na casa reside Evelyn da Silva Gonçalves, de 21 anos. Ela contou que estava acordada quando ouviu um barulho. A primeira atitude da jovem foi correr em direção ao quarto onde o filho de dois anos estava dormindo. Ela se deparou com o buraco causado pelo carro e foi para o lado de fora da residência.

Evelyn conta que se deparou com o rapaz ensanguentado. “Parecia que ele estava agonizando, mas acho que já tinha morrido”, contou. Uma viatura do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) foi acionada, mas quando chegou ao local à vítima foi encontrada já sem vida.

O dono do imóvel foi hoje cedo a residência para tampar o estrago causado na parede.

Vanilde dos Santos, de 34 anos, disse que estava na festa, mas que Eduardo não estava no local. “Está todo mundo achando que o cara estava lá na festa”. Ela afirma que um amigo tem um Corsa de cor branca e por isso teriam confundido. “A gente foi lá ver se era meu amigo, mas não era ele”, completa.

As constantes festas sem hora para terminar e o barulho ensurdecedor são algumas das reclamações dos moradores da região.

Promotoria e prefeitura firmam acordo para recuperar área de preservação
Foi celebrado entre o MPE (Ministério Público Estadual) e a prefeitura de Campo Grande acordo para recomposição da vegetação nativa da área de preser...
Concurso recebe inscrições para 83 vagas técnico-administrativas
Seguem abertas as inscrições para o concurso que oferece 83 vagas para técnico-administrativos em Educação na UFMS (Universidade Federal de Mato Gros...
Vice-governadora visita projeto em que detentos reformam escolas
O projeto "Pintando e Revitalizando a Educação com Liberdade", desenvolvido pelo Poder Judiciário estadual, foi conhecido e elogiado na sexta-feira (...


Festas que somente atraem coisas que não prestam, e que incomodam aqueles que não suportam a bagunça, são frequentes, infelizmente. Precisamos de uma polícia que não ache que esse tipo de solicitação de ajuda deva ser ignorada, a população PRECISA de paz em suas casas, e uma postura mais rígida e rápida quanto a isso . Com certeza quem está nesse local sabe do risco que corre, pois a bebida faz qualquer idiotice tomar proporções maiores, mas o problema é atingir aqueles que não tem nada a ver com a história. E se esse carro pegasse a criança que estivesse dormindo? E se uma bala perdida atinge uma outra casa? PRECISAMOS DE MAIS SEGURANÇA PREVENTIVA, SE A POLÍCIA TIVESSE ATENDIDO AO PRIMEIRO PEDIDO DE INTERVENÇÃO, QUE COM CERTEZA HOUVE NESSA HISTÓRIA, TERIA SIDO DIFERENTE A HISTÓRIA.
 
Violeta Capeleti em 20/01/2013 12:43:54
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions