ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
ABRIL, TERÇA  16    CAMPO GRANDE 24º

Capital

Dono contesta valor de imposto e reabertura do Hotel Campo Grande emperra

Expectativa do novo proprietário era de que a obra começasse em novembro

Por Izabela Cavalcanti | 07/12/2023 10:25
Cartaz mostra que lojas instaladas na entrada do Hotel Campo Grande foram realocadas para outro endereço (Foto: Henrique Kawaminami)
Cartaz mostra que lojas instaladas na entrada do Hotel Campo Grande foram realocadas para outro endereço (Foto: Henrique Kawaminami)

O início da reforma do Hotel Campo Grande está travado devido a um impasse com a Prefeitura, conforme explica o novo proprietário Wagner Marcelo Monteiro Borges. As lojas que ficam embaixo do prédio já até foram desocupadas para que a obra começasse em novembro.

De acordo com o empresário, um dos problemas enfrentados é a cobrança do ITBI (Imposto sobre a Transmissão de Bens Imóveis), que é 2% em cima do valor do imóvel. Segundo ele, a Prefeitura avaliou em R$ 30 milhões. Além disso, outra questão é a liberação do alvará para a reforma.

“Estamos querendo empregar e está essa burocracia”, diz Wagner, sem querer dar mais detalhes sobre a situação.

Em resposta, a Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano) informa que caso qualquer proprietário de imóvel não concorde com a avaliação realizada para fins de ITBI pode solicitar via processo administrativo na Prefeitura, a revisão do valor de avaliação.

"No caso citado, o responsável já protocolou o pedido de reavaliação do valor do imóvel e o mesmo está sendo realizado pela Semadur, estando inclusive a análise dentro do prazo determinado em lei", diz parte da nota enviada ao Campo Grande News.

Em relação ao início das obras, a secretaria diz que é necessário que o imóvel esteja com toda a documentação correta, bem como, escriturado no nome do atual proprietário. "Sem a matrícula do Cartório finalizada não é possível solicitar um Alvará de Construção/Reforma, o que ainda nem foi formalizado junto à Semadur até a presente data", finaliza.

Compra e venda – O prédio estava fechado há 22 anos e foi comprado por Wagner em dezembro do ano passado, pelo valor de R$ 15 milhões. Ele quer manter o nome e inaugurar um hotel luxuoso que vai integrar a rede Slaviero.

Conforme adiantado pelo Campo Grande News em agosto, a reforma vai empregar de 250 a 300 funcionários, diretos e indiretos. Depois de pronto, para funcionar 24h, o local vai precisar de cerca de 70 funcionários.

O proprietário comprou o prédio do herdeiro do antigo dono do local, José Cândido de Paula.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para entrar na lista VIP do Campo Grande News.

* Matéria atualizada 12h27 para acrescentar nota da Semadur 

Nos siga no Google Notícias